Política

FHC diz que impeachment não é golpe, mas ‘remédio constitucional’

O ex-presidente defende que, com a deposição de Dilma, haja um 'grande consenso nacional' - foto: divulgação

O ex-presidente defende que, com a deposição de Dilma, haja um ‘grande consenso nacional’ – foto: divulgação

O ex-presidente Fernando Henrique Cardoso afirma que o impeachment da presidente Dilma Rousseff “é um remédio constitucional” e defende a continuidade e autonomia das investigações da Operação Lava Jato em um eventual governo Temer.

Em vídeo gravado para o novo site do Instituto Teotônio Vilela, que entrou no ar nesta quinta-feira (31), FHC diz que o processo de deposição da presidente “não tem nada a ver com golpe” e, diante da “incapacidade do governo de governar” e de “flagrantes abusos que ferem a Constituição “, “infelizmente não resta outro caminho senão marcharmos para o impeachment”.

“Quando há apoio na sociedade, maioria no Congresso e base jurídica, vai para o impeachment”, diz.

O ex-presidente defende que, com a deposição de Dilma, haja um “grande consenso nacional”, indicando que o PSDB participe do governo Temer, se colocando como “o partido da construção do futuro do país”. Segundo ele, no entanto, para que a composição prospere, a Lava Jato tem de se manter intacta. “O preço do acordo não pode ser acabar com a Lava Jato.”

“A Lava Jato é parte do processo democrático brasileiro. Ela vai continuar, mas dentro da regra. Se houver abusos, há tribunais de conter esses abusos, mas é importante que ela continue”, afirma.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir