Cultura

Festival reúne 10 grupos artísticos para criar espetáculo único e exclusivo

Foto circo Divulgação

foto: divulgação

Dez grupos de música, dança, circo e teatro, de diferentes origens, linguagens e estilos, se reúnem durante dois dias para uma intensa troca de suas experiências. Desse intercâmbio entre artistas brasileiros e estrangeiros nasce um espetáculo inédito e exclusivo, criado inteiramente de forma colaborativa.

A criação coletiva que resulta dos dois dias de dinâmicas constitui o Tangolomango – Festival Internacional da Diversidade Cultural, cuja 20ª edição ocorrerá domingo (8), às 20h, no Circo Voador, na Lapa, centro do Rio. Com o tema Rio – Conexão Internacional, o evento volta depois de quatro anos à cidade que o viu nascer, em 2002, com a proposta de promover a troca, a produção compartilhada e a generosidade intelectual.

Em seus 13 anos de história, o projeto já passou por outras cidades brasileiras e latino-americanas, como São Paulo, Salvador, Fortaleza, Recife, Buenos Aires, Santiago e Bogotá. Em todas elas, a proposta foi a mesma de promover conexões culturais.

A edição carioca vai reunir artistas locais e estrangeiros radicados ou de passagem pela cidade. Os participantes do intercâmbio são os grupos Asmahan Danças Orientais, Cia Les Trois Clés, Coletivo Veracidade, Corpus entre Mundos, Deslocadas, Na Batalha, Orquestra La Original de Música Latina, Tambores de Olokun e Negro Mendes.

“A arte é uma linguagem universal. O que fazemos é juntar  pessoas de diferentes países e partes do Brasil para que troquem suas experiências, e nessa troca eles acabam se tornando um único grupo”, conta a gestora cultural Marina Vieira, criadora do Tangolomango. “O Olokun, ligado ao candomblé, começa a trabalhar com uma banda de salsa e o resultado é uma fusão musical. Isso acontece naturalmente, a gente não força a barra. Nossa metodologia é a aproximação”, disse.

Essa aproximação se dá em três momentos. No primeiro, os grupos se reúnem para se conhecer e apresentar seus trabalhos. No segundo, os artistas se juntam, agregam suas experiências e se transformam em uma única trupe para a criação e produção do espetáculo, o momento final.

O primeiro encontro é hoje (6), no Pavilhão Teatro de Anônimo, na Fundição Progresso, onde também ocorrerá amanhã (7) a criação do espetáculo de domingo. O Tangolomango, com uma hora e meia de duração e levará 75 pessoas ao palco do vizinho Circo Voador.

O festival, que conta com patrocínios da Petrobras e do governo do Rio de Janeiro, é gratuito, e nesta edição traz uma novidade: o Escambo Tangolomango, uma feira de troca que tem como objetivo inserir o público na experiência do intercâmbio cultural. Das 18h às 20h, antes do show, a pessoa pode contribuir com livros, CDs, adereços, postais e outros objetos, para trocar por outras peças.

 

Por Agencia Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir