Sem categoria

Festival de Parintins: demanda por viagens a barco ‘naufraga’

Segundo operadores do setor, vendas para o transporte fluvial estão bem abaixo da marca registrada na edição do ano passado- fotos: Ione Moreno

Segundo operadores do setor, vendas para o transporte fluvial estão bem abaixo da marca registrada na edição do ano passado- fotos: Ione Moreno

Faltando pouco mais de 30 dias para o 50º Festival Folclórico de Parintins, a procura por passagens fluviais e aéreas apresentam algumas dissonâncias. Enquanto os vendedores de passagens de barcos reclamam do fraco movimento – há menos de um mês do evento -, as companhias aéreas seguem com força, com voos diretos – e extras – para a Ilha Tupinambarana.

“Por enquanto, estamos muito aquém do ano passado. Acho que posso dizer que ainda não vendemos nem 20% de passagens do que vendemos em 2014”, declara o  vendedor de passagens no porto de Parintins Adenilson Soares, sobre a procura por bilhetes fluviais, neste período pré-festival.

Para ele, as vendas estão muito devagar. “Por enquanto, estamos cobrando R$ 100 para os motores de linha e R$ 150 para as passagens de lancha. Mesmo assim, está muito devagar a movimentação”, afirma o vendedor.

Ele lembra que nos festivais anteriores, a movimentação de turistas e pessoas que vinham de Manaus ou de Belém (PA) para participar do evento ganhava força logo no início do mês de maio.

“A procura era tanta que muita gente fazia a sua reserva ou comprava a sua passagem na virada do ano. Quando vinha passar o Réveillon, já deixava reservada a passagem do festival, aguardando apenas o valor que seria anunciado depois pelas agências de passagens. As pessoas vinham para o boi de rua, para a saída do Garantido no dia 12 de junho, tudo isso movimentava o porto e a gente ganhava o nosso”, conta Adenilson.

Reajuste iminente

Hoje, segundo ele, os vendedores vendem muito pouco. “Isso não é um bom sinal para o festival folclórico, ficamos todos muito preocupados com essa realidade”.

Os barcos e as lanchas velozes que fazem linha para o município de Parintins eram, até pouco tempo, uma alternativa de transporte para quem desejava passar o festival folclórico sem muita despesa.

Conforme Soares, a queda na venda de passagens fluviais vem se acentuando desde 2012. “Já tivemos grandes festivais com boas vendas, boas mesmo”, relembra com saudades.

Para ele, as passagens já deveriam ter sido reajustadas. “Isso já é de praxe, porém, ainda não se sabe como vai ser, estão falando que as lanchas podem subir para R$ 200 na semana do festival, mas eu me pergunto: se a R$ 150 estamos tendo todo esse problema e se aumentar não vai complicar ainda mais?” questiona Soares.

Na contramão do transporte fluvial, companhias aéreas registram aquecimento e oferta de voos extras, com perspectiva de intensificar o movimento no aeroporto de Parintins na época do evento

Na contramão do transporte fluvial, companhias aéreas registram aquecimento e oferta de voos extras, com perspectiva de intensificar o movimento no aeroporto de Parintins na época do evento

Enquanto o setor fluvial reclama da pouca saída de passagens, as empresas aéreas investem com tudo na venda de bilhetes para o festival. A empresa Azul Linhas Aéreas terá dois voos diários, no horário das 12h15, e diretos – durante o período do evento -, a partir de Manaus. As passagens variam de R$ 840 (ida ou volta ) a R$  1.440 (ida ou volta), independente da partida ser no dia 26 de junho e o retorno no dia 29.

Já a empresa MAP Linhas Aéreas, além de seus voos regulares diários a Parintins, contará com outros 45 voos para a ilha, que deverão operar no período de 24 a 30 de junho.

Conforme a assessoria de imprensa da empresa, 70% dos voos regulares , que saem diariamente às 7h e retornam às 16h30, já estão vendidos. Os preços das passagens no que se refere às linhas regulares saem a R$ 700, por trecho, enquanto os demais variam de R$ 390 a R$ 690.

Pacotes e preços

Agência oficial do festival, a Tucunaré Turismo vem comercializando os ingressos para o evento, desde março, aos valores de R$ 600, R$ 800, R$ 820 e R$ 1.050, para cada noite de festa.

Além dos ingressos a empresa também oferece pacotes, incluindo passagens e ingressos para cada noite de apresentação dos bumbás, que estão sendo comercializados em duas modalidades. O “Bate e Volta”, que inclui passagem aérea (ida e volta), com saída de Manaus, por volta das 2h ou 3h, e retorno na manhã do dia seguinte, sai a R$ 1.750.

Nesta opção, além de pagar a taxa de embarque, o interessado tem direito a um jantar.

Já o pacote “Combo”, além das passagens de ida e volta, inclui ingressos para os três dias, transfer, hospedagem em apartamento simples – para uma pessoa -, taxa de embarque, ao preço de R$ 5.300.

Por Tadeu de Souza (Jornal EM TEMPO) e Síntia Maciel (Jornal EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir