Dia a dia

Ferida com golpes de faca, adolescente de 16 anos é vítima de estupro coletivo, em Manaus

A menina foi levada para o Hospital e Pronto Socorro Delfina Aziz, na Zona Norte - foto: divulgação

A menina foi levada para o Hospital e Pronto Socorro Delfina Aziz, na Zona Norte – foto: divulgação

Uma adolescente 16 anos foi vítima de um estupro coletivo, na madrugada desta segunda-feira (15), por volta das 3h. O fato ocorreu em uma área de mata, no residencial Viver Melhor, na Zona Norte de Manaus.

Conforme informações da irmã da vítima, uma estudante de 23 anos, a adolescente disse que foi abordada por seis homens, sendo que um deles era “conhecido de vista”. Os suspeitos levaram a menina para uma área de mata, nas proximidades de um Colégio Militar.

No local, segundo os relatos da vítima,  um dos suspeitos a estuprou. Após o ato sexual, os outros homens a amararam em uma árvore, cortaram o cabelo, a mão e ainda efetuaram um golpe de faca nas costas delas.

“Eles cortaram o cabelo dela igual de homem, na mão dela fizeram um corte como tica peixe e no final deram uma facada nas costas da minha irmã. Depois que terminaram essas atrocidades, saíram do local e a deixaram amarrada.  Acho que eles iriam voltar para matá-la, mas  conseguiu ela  fugir. Minha irmã falou que estava nua e conseguiu pegar umas roupas no quintal de umas das casas do conjunto e assim chegou em casa”, disse a irmã da vítima.

A mulher ainda informou que a adolescente mora com ela, também no Viver Melhor, e que tem um filho de quatro meses. Ela também disse que  momento em que a menina saiu do imóvel levou a criança.

“Estava com muito medo, pois quando ela saiu levou o bebê, mas depois descobri que ela deixou ele com uma prima nossa. Se o bebê tivesse com ela, acho que eles teriam matado os dois. A minha irmã não tem envolvimento com o tráfico de drogas, só gosta de sair. Ela não é caseira, gosta de ficar andando por aí”, disse a estudante.

Conforme informações da delegada Juliana Tuma, titular da Delegacia Especializada em Proteção à Criança e Adolescente (Depca), uma assistente social do Hospital e Pronto Socorro Delfina Aziz, na Zona Norte, onde a vítima está internada, entrou em contato com a especializada informando sobre o caso.

Inicialmente o caso foi registrado no 26º Distrito Integrado de Polícia (DIP), mas foi transferido para a Depca, que informou que as investigações sobre o crime já foram iniciadas.
A adolescente será encaminhada à Maternidade Municipal Doutor Moura Tapajós e, após receber alta irá realizar exames no Instituto Médico legal (IML) e, ainda esta semana, irá se apresentar na Depca para prestar depoimento.

Por Mara Magalhães

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir