Esportes

Federação Amazonense de Jiu-Jitsu promove festival para crianças

O torneio em alusão ao Dia das Crianças reunirá atletas de 2 a 17 anos - foto: Márcio Melo

O torneio em alusão ao Dia das Crianças reunirá atletas de 2 a 17 anos – foto: Márcio Melo

A Federação Amazonense de Jiu-Jitsu Esportivo (Fajje), irá promover uma programação especial para comemorar o Dia das Crianças, comemorado no dia 12. Na próxima quinta-feira (13), será realizado o Festival de Jiu-Jitsu Esportivo no Ginásio Ninimberg Guerra (Bergão), que irá contar com a participação de crianças de 2 a 17 anos. O evento inicia às 9h, e terá disputas das faixas branca à azul.

De acordo com o presidente da Fajje, Luís Neto, esta é a sexta edição do evento, que tem como principal objetivo atrair cada vez mais jovens e crianças para o meio esportivo, e fazer com que o Amazonas continua sendo um celeiro de “cascas grossas”.

“Sempre realizamos este evento próximo do dia das crianças, pois nosso principal objetivo é o de disseminar cada vez mais o esporte entre atletas de 2 a 17 anos, e com isto garantir cada vez mais o futuro do esporte em nossa juventude”, explicou.

Luís Neto destacou ainda que o torneio é uma forma de incentivar os atletas por meio das premiações, e mostrar o quanto eles podem crescer no esporte, colocando em prática a dedicação, e futuramente serem grandes representantes da luta do norte do país.

“Nas categorias até 17 anos de idade não entregam troféus para os atletas, mas no campeonato do dia 15 iremos premia-los com troféus, para incentivá-los cada vez mais a se dedicarem ao jiu-jitsu, se tornando cada vez mais profissionais no meio e podendo se transformarem em grandes nomes do esporte amazonense”, declarou o presidente.

Adultos no meio

No mesmo dia e local, a Fajje irá realizar o Festival Open de Jiu-Jitsu Sem Quimono, com atletas que já competiram entre as crianças e tiveram suas vidas transformadas por meio do esporte, que irão competir pela categoria dos adultos.

Um dos lutadores presentes na competição, será Wesley Lima (Academia Norte Gold Team), 20, que desde os 8 anos participa do evento, e neste ano será um dos representantes da faixa roxa (peso pluma). Por causa do esporte, ele abandonou a criminalidade e tráfico de drogas, e hoje é um dos grandes representantes do jiu-jítsu amazonense.

“Comecei no jiu-jitsu com 8 anos, mas nunca acreditei no meu potencial. Até que durante minha adolescência acabei me envolvendo com coisas erradas, e vivia traficando drogas e furtando as pessoas nas ruas. Até que um dia encontrei um rapaz com aparência de lutador, e perguntei se ele treinava jiu-jitsu. Foi neste momento, quando eu estava com 16 anos, que tudo mudou, pois comecei a treinar na mesma academia que ele, e passando a valorizar o esporte cada vez mais em minha vida”, contou.

Wal Lima
Jornal EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir