Dia a dia

FCecon abre Outubro Rosa no próximo dia 30

O prédio da FCecon será iluminado com a cor rosa que simbolizaa luta contra o câncer de mama - foto: Divulgação

O prédio da FCecon será iluminado com a cor rosa que simboliza a luta contra o câncer de mama – foto: Divulgação

A Fundação Centro de Controle do Estado do Amazonas (FCecon) promove, na próxima sexta-feira (30), às 18h, a abertura do movimento de prevenção aos cânceres de mama e colo uterino, o Outubro Rosa. O evento acontecerá em frente à sede da instituição, na rua Francisco Orellana, Dom Pedro, Zona Centro-Oeste de Manaus. Na ocasião, o prédio da unidade de saúde será iluminado com a cor rosa, que simboliza, em nível mundial, a luta contra as neoplasias malignas de mama, as mais incidentes entre as mulheres.

No Amazonas, a campanha também chama a atenção para a importância da prevenção ao câncer de colo uterino. Segundo o diretor-presidente da Fundação, cirurgião Marco Antônio Ricci, é o tipo que mais acomete a população feminina no Estado. Ele lembra que, no âmbito local, o movimento inclui a participação de ONGs de apoio à luta contra o câncer, a exemplo da Liga Amazonense Contra o Câncer (Lacc), Rede Feminina de Combate ao Câncer, Centro de Integração Amigas da Mama (Ciam), Lar das Marias, Grupo de Apoio às Mulheres Mastectomizadas da Amazônia (Gamma), além da Sociedade Brasileira de Mastologia secção Amazonas, entre outras. Em nível nacional, a coordenação do movimento fica a cargo da Federação Brasileira de Instituições Filantrópicas de Apoio à Saúde da Mama (Femama).

Na abertura, o coral da Secretaria de Estado da Fazenda (Sefaz) e a banda da Marinha do Brasil se apresentarão ao público presente. A empresa Eucatur Transporte Rodoviário, parceira do movimento nos últimos anos, que desenvolve um fundamental trabalho de conscientização, também participará, com a exposição de seu ônibus rosa, já conhecido por circular pelas ruas da capital no período.

“O Governo do Estado, através da Secretaria de Estado da Saúde (Susam), vem apoiando iniciativas como essa, que buscam conscientizar a população sobre a necessidade de buscar a prevenção. Estimular esse tipo de cuidado fortalece a política oncológica no Amazonas e reforça a atenção. Outra ação que deve ser ressaltada e valorizada é a vacinação contra o HPV, vírus que potencializa o aparecimento do câncer de colo uterino. A doença colocou o Amazonas no topo do ranking nacional, como a unidade da federação com o maior número de casos. Nosso objetivo é reverter esse quadro no menor tempo possível”, explicou Ricci.

Participação

Instituições públicas e privadas também aderem anualmente à campanha, no mês de outubro, integrando uma vasta programação voltada à prevenção. Neste ano, os municípios de Iranduba, Tabatinga e Manacapuru, confirmaram a iluminação de prédios públicos nas localidades em apoio ao movimento, explicou a coordenadora estadual da Atenção Oncológica, enfermeira Marília Muniz.

Na capital, segundo Muniz, já manifestaram apoio as Secretarias de Estado de Educação e de Assistência Social (Seduc e Seas, respectivamente), o Instituto da Mulher Dona Lindu, Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam), 7º Comando Aéreo Regional (Comar), Ambev e Marinha do Brasil. Todos seguirão o exemplo da FCecon e iluminarão suas instalações de rosa, com exceção da Marinha, que iluminará o navio de assistência hospitalar Dr. Montenegro.

“A Marinha elaborou uma programação, que vai do dia cinco ao dia 24, para a realização gratuita de mamografias e exames preventivos Papanicolau em mulheres ribeirinhas da região do Purus. Nos dias 10 e 11, as mulheres de Beruri também serão beneficiadas com a oferta de mamografias. É uma importante parceria, que leva prevenção e assistência a áreas de difícil acesso no Estado”, explicou Muniz.

Na Seduc, que promove a abertura da campanha internamente dia 3 de outubro, a Rede Feminina de Combate ao Câncer, uma das ONGs idealizadoras do movimento no Amazonas, fará uma exposição de produtos produzidos por voluntárias, cujo valor será revertido ao auxílio de pacientes oncológicos de baixa renda no Estado. Entre os dias 1 e 15, a entidade montará um stand no Manauara Shopping, com a mesma finalidade.

Números

A projeção mais recente lançada pelo Instituto Nacional do Câncer (Inca), vinculado ao Ministério da Saúde, aponta que os cânceres de mama e colo uterino, juntos, devem acometer 1.120 mulheres no Amazonas, em 2016, o equivalente a 40,43% do total de neoplasias estimadas para o período no sexo feminino.

Os dados apontam que, na comparação com os números nacionais, o Amazonas supera a média brasileira para casos de câncer de colo uterino e fica abaixo no que diz respeito às neoplasias de mama. Na taxa bruta de incidência, estão previstos para o Estado 53 casos de câncer de colo uterino para cada 100 mil mulheres, 34 diagnósticos a mais do que a média nacional. No sentido inverso, as neoplasias de mama estimadas para a mesma proporção é de 39 casos, 40 a menos que a projeção nacional, o que segundo diretor-presidente da FCecon, ainda assim representa um cenário desfavorável.

“Quando falamos de taxa bruta de incidência, os números ainda assustam. Por isso, a importância de chamarmos a atenção para esse problema, informando às mulheres que elas devem fazer a mamografia a partir da idade indicada. O autoexame das mamas para detectar eventualmente alterações que possam ser investigadas para levar ao diagnóstico precoce e, principalmente, a realização do exame preventivo Papanicolau anualmente, a partir do início da vida sexual. Ele auxilia na detecção de lesões precursoras do câncer de colo uterino, mais facilmente tratáveis”, destacou o diretor-presidente da FCecon, Marco Antônio Ricci.

A mamografia é indicada a mulheres com idade entre 50 e 69 anos. Mulheres com histórico de câncer de mama na família devem iniciar a rotina anual de exames dez anos antes da idade em que a neoplasia foi diagnosticada no familiar.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir