Esportes

Fast evita falar sobre indisciplina

Atacante Jackie Chan é um dos envolvidos no caso de indisciplina ocorrido durante a Copa São Paulo - foto: Ione Moreno

Atacante Jackie Chan é um dos envolvidos no caso de indisciplina ocorrido durante a Copa São Paulo – foto: Ione Moreno

A participação do Fast na Copa São Paulo de Futebol Júnior, competição na qual foi eliminado na primeira fase, foi marcada pela polêmica envolvendo jogadores em casos de indisciplina. Alguns atletas, que não tiveram os nomes revelados, foram afastados do elenco quando a delegação retornou a Manaus na última sexta-feira (8).
Provavelmente, segundo a diretoria, eles não serão aproveitados na Copa Verde, que começa em fevereiro.

A direção do clube evita falar sobre o assunto. O vice-presidente Cláudio Nobre desconversou. Disse que não irá se pronunciar e que o caso será tratado internamente. “Nós, da diretoria, não queremos nos pronunciar sobre assunto. O que eu posso garantir é que terá uma reunião para definir o elenco que vai defender o clube para esta temporada”, afirmou Nobre.

No último sábado (8), o diretor das categorias de base, Thiago Durante, declarou em entrevista ao site ‘Globoesporte.com’ que o técnico Darlan Borges tinha dado um puxão de orelha no atacante Jackie Chan, 19, por ter saído da concentração, na cidade de Taboão da Serra, sem autorização. O atacante reagiu no Facebook com a seguinte declaração: “Fiz muito pelo Fast. Para mim, já deu”. Mais que um desabafo, a frase escrita em seu perfil pessoal, na última sexta-feira, após a eliminação, era uma provável despedida.

Nobre não confirmou o desligamento do atleta. O dirigente disse que o atacante tem contrato até o fim desta temporada e fará uma reunião com o presidente e o jogador para selar o destino.

O PÓDIO tentou ouvir o técnico do Rolo Compressor, mas ele não atendeu às ligações.

Por Lindvan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir