Sem categoria

Familiares de enfermeira assassinada pedem punição do filho, principal suspeito, e cobram agilidade no processo

De acordo com outro filho da vítima e irmão do suspeito,  o processo encontra-se na 2ª Vara do Tribunal de Júri Popular, mas está parado - foto: arquivo EM TEMPO

De acordo com outro filho da vítima e irmão do suspeito, o processo encontra-se na 2ª Vara do Tribunal de Júri Popular, mas está parado – foto: arquivo EM TEMPO

Familiares da enfermeira Elinelza de Oliveira Moura, 53, assassinada em 18 de novembro de 2014, cobram da Justiça agilidade na condução do processo. O principal suspeito de ter matado a pauladas a mulher, o filho Heider Marinho Moura, 30, aguarda para ser julgado em liberdade.

De acordo com outro filho da vítima e irmão do suspeito,  o enfermeiro Helder José Carneiro Moura Júnior, 32, o processo encontra-se na 2ª Vara do Tribunal de Júri Popular, mas está parado.  “Me informaram  que o processo está parado porque as investigações passaram por quatro delegados, e  tiveram atrasos na perícia. Fui ontem (13), no Fórum Henoch Reis e a diretora da Vara disse que estava esperando a posição do juiz”, comentou o enfermeiro.

Conforme Helder, a família espera que na próxima quinta-feira (16), seja dada uma posição sobre a data do julgamento. “Chegamos a fazer abaixo-assinados para agilizar o processo. Colhemos assinaturas nos lugares onde ela trabalhou, como no Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), e levamos para a Delegacia Especializada em Homicídios e Sequestros (DEHS), Secretaria de Segurança Pública do Amazonas (SSP-AM) e Tribunal de Justiça do Amazonas (Tjam).

A reportagem do EM TEMPO entrou em contato com o Tjam, que através da sua assessoria, informou que só poderá dar informações sobre o caso na quarta-feira (15).  Em consulta, pelo site do tribunal, o processo de homicídio qualificado, corre em segredo de Justiça.

Relembre o caso

A enfermeira Elinelza de Oliveira Moura,53, foi assassinada com pauladas na cabeça, na casa onde morava, na Rua 8, conjunto Hileia, bairro Redenção, Zona Centro-Oeste de Manaus.  O crime, que ocorreu no dia 18 de novembro de 2014,  e tem como principal suspeito, o filho da enfermeira, Heider Marinho Moura,30.

Por Kattiúcia Silveira

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir