Dia a dia

Família amazonense diz estar sem receber ajuda de custo da Susam para tratamento em São Paulo

Suelen, o marido, Yago e a filha de seis anos foram morar em São Paulo durante o tratamento do adolescente - foto Reprodução Facebook

Suelen, o marido, Yago e a filha de seis anos foram morar em São Paulo durante o tratamento do adolescente – foto Reprodução Facebook

O que seria apenas um acompanhamento médico rotineiro com o filho de 12 anos, em Ribeirão Preto (SP), vem se transformando em dor de cabeça para a dona de casa Suelen Leite Ramos, 36. Há 2 meses, ela se encontra no interior de São Paulo com o adolescente, que faz o Tratamento Fora de Domicílio (TFD), custeado pela Secretaria de Estado de Saúde (Susam). Porém, segundo a dona de casa, o auxílio repassado aos pacientes do TFD, no valor de R$ 600 mensais, não está sendo liberado.

“Minha mãe toda semana vai na Susam e o que informam é que não tem previsão para liberar o pagamento. Hoje mesmo mentiram para ela, dizendo que havia sido liberado, o que não ocorreu”, declara Suelen, referindo-se à data desta terça-feira (11).

A dona de casa viajou para São Paulo com o filho, Ramon Yago Leite Ramos, 12, o marido e outra filha de 6 anos, e precisa se deslocar de ônibus para o município de Ribeirão Preto sempre que tem uma consulta agendada.

Segundo ela, o adolescente não enxerga, não fala e tem dificuldades na locomoção. Os médicos suspeitam que ele tenha sido vítima de hidrocefalia adquirida – que resulta em traumas durante ou depois do nascimento. No caso de Yago, a doença começou a dar sinais aos 4 anos.

“Minha filha precisa dessa ajuda de custo. Ela abandonou tudo aqui para cuidar do filho e mora alugado em São Paulo. O marido dela faz bicos, mas o dinheiro é insuficiente para eles se manterem. Estamos esperando sair o benefício há dois meses e até agora nada. Fui hoje na Susam e, mais uma vez, não me deram previsão de quando vai sair o TFD. Eles estão passando necessidade”, declarou a avó de Yago, a aposentada Zeneida Santana Ramos, 61.

A partir dos 4 anos é que Yago começou a apresentar problemas de saúde - foto Reprodução Facebook

A partir dos 4 anos é que Yago começou a apresentar problemas de saúde – foto Reprodução Facebook

Ainda de acordo com a aposentada, nem mesmo os números de contato do setor do TFD, dentro da Susam, não estão sendo atendidos. “Ela tem tentando falar com os responsáveis do setor do TFD e ninguém atende os telefonemas. Perguntei hoje de uma funcionária e ela me disse que não tem ninguém na secretaria para atender as ligações. Isso é um descaso com quem precisa”.

De acordo com Zeneida, a filha não é a única amazonense que está com dificuldades para receber o benefício. “Hoje várias pessoas estavam na secretaria e exigiram que o pagamento fosse feito. Inclusive, um idoso me confidenciou que o dinheiro caiu na conta dele no sábado, mas quando foi no domingo a Susam teria retirado o valor do TFD. Nem dá para acreditar na situação da saúde do estado”, relatou.

A reportagem entrou em contato com a Susam, que informou que o Programa de Tratamento Fora de Domicílio (TFD) está sendo reformulado e que a forma de repasse da ajuda de custo foi modificada. Anteriormente, o depósito era feito em conta bancária e agora passará a ser disponibilizado por meio de um cartão benefício.

Ainda segundo a pasta, a coordenação do programa está efetivando o cadastro de todos os pacientes beneficiários do TFD e orientando a todos que, se ocorrer alguma dificuldade para acessar o valor do repasse, que procurem a coordenação para que se identifique e solucione o problema.

Questionada sobre o não atendimento das ligações dos pacientes no setor responsável pelo TFD, a Susam não se pronunciou. A secretaria também não informou qual o prazo para a regularização do pagamento por meio do cartão benefício e tão pouco a implantação no sistema.

Bruna Souza
Portal EM TEMPO

1 Comment

1 Comment

  1. Wilton

    12 de outubro de 2016 at 07:52

    Estou a 4 meses com minha filha ae minha esposa fazendo tratamento e essa ajuda de custo nada eles nao estao nen ai pra quem precisa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir