Política

Falas de líderes mostram forte divisão entre 25 partidos na Câmara

Apesar da divisão apontada na comissão, a maioria das bancadas não vota de forma unificada no plenário - foto: divulgação

Apesar da divisão apontada na comissão a maioria das bancadas não vota de forma unificada no plenário – foto: divulgação

Nas mais de quatro horas de discursos que antecederam a votação do relatório sobre o impeachment, os líderes dos 25 partidos na Câmara deixaram claro a divisão partidária sobre o afastamento da presidente Dilma Rousseff.

Nas falas, 11 partidos se afirmaram a favor do impeachment -PSDB, DEM, PRB, PSB, PTB, SD, PSC, PPS, PV, PSL e PMB-, dez deles se colocaram como contrários -PT, PP, PDT, PTN, PC do B, PSOL, Pros, Rede, PT do B e PEN- e quatro mostraram estar divididos -PMDB, PSD, PR e PHS.

Apesar da divisão apontada na comissão, a maioria das bancadas não vota de forma unificada no plenário, o que mantém ainda incerto o placar da votação do próximo fim de semana.

As falas demonstram que a forte negociação do governo com os partidos do centro PSD e PR até agora não foram suficientes para que eles tomassem uma posição horas antes da votação na comissão especial.

O líder do PR na Câmara, Mauricio Quintella Lessa (AL), optou por não se pronunciar nem ceder os dez minutos de sua liderança a outro deputado. Favorável ao impeachment, ele deixou o posto de líder da sigla no fim da tarde desta segunda (11).

O PSD, por sua vez, dividiu seus dez minutos de fala na comissão entre um deputado favorável ao impeachment -Marcos Montes (MG)- e um contrário -Paulo Magalhães (BA).

O deputado Aliel Machado (Rede-PR), único deputado do partido que até então estava indefinido na comissão, se posicionou contrário ao impeachment.

No caso do PP, sigla com a quarta maior bancada na Câmara e cujos votos têm sido disputados pelo governo e por partidos favoráveis ao impeachment, o líder da legenda na Câmara, Aguinaldo Ribeiro (PB), afirmou seu voto contra o afastamento de Dilma.

No último domingo (10), contudo, nove diretórios estaduais do partido fecharam posição favorável ao impedimento, entre eles SP, RS, PR, GO e MG. Dos cinco deputados do PP na comissão, três devem votar a favor do impedimento de Dilma.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir