Sem categoria

Faixa azul faz a quarta vítima fatal em Manaus

foto: arquivo EM TEMPO

foto: arquivo EM TEMPO

Um homem não identificado, de idade entre 35 á 40 anos, morreu após ser atropelado ao atravessar a avenida Constantino Nery, bairro Chapada, Zona Centro-Sul de Manaus. O acidente fatal ocorreu por volta das 21h45 de sexta-feira (15).

De acordo com informações da assessoria da Polícia Civil, o autor do atropelamento, de nome não revelado, conduzia um veículo de modelo Mitsubishi Lancer, de cor prata e placas OAK 0588.

Segundo populares, o automóvel importado trafegava em alta velocidade pela faixa  azul – exclusiva de ônibus e táxis. A vítima foi atendida ainda no local pelo serviço de atendimento móvel (SAMU), mais não resistiu aos ferimentos.

O condutor foi conduzido ao 22º Distrito Integrado de Policia (DIP), onde prestou esclarecimentos e deve ser autuado pelo crime de direção perigosa e homicídio.

Faixa

O instituto Médico Legal (IML) e a Pericia Criminal estiveram no local para averiguar a área e iniciar as investigações do crime.

Desde que foi implantado pela prefeitura de Manaus, o trecho de uso exclusivo do BRS, na Avenida Constantino Nery, já registrou pelo menos outros três acidentes com vítimas fatais.

A primeira vítima foi um médico atropelado por um veículo modelo Amarok, após uma tentativa de ultrapassagem. Noutro caso, um homem de 59 anos morreu ao tentar atravessar nas proximidades da Arena da Amazônia.

Devido à reincidência de acidentes no trecho exclusivo, o Manaustrans, órgão responsável pelo tráfego no município, reduziu, no dia 12 de março, a velocidade máxima do corredor exclusivo para ônibus da avenida Constantino Nery, que antes era de 60 km/h para 50 km/h.

Por Mairkon Castro (especial EM TEMPO Online)
5 Comments

5 Comments

  1. Isaac Ferreira

    17 de maio de 2015 at 17:26

    “A faixa azul nunca causou a morte de ninguém.”

    Me perdoem a franquesa, mas a escolha de tema foi muito tendenciosa e infeliz.
    (Não sou jornalista, mas este foi um dos primeiros princípios que aprendí de um excelente jornalista)
    Além do mais, o verdadeiro [ jornalismo ] busca as causas e soluções.
    A causa fica bem clara – motorista da Mitsubishi Lancer, e não a faixa.

    Uma palavrinha muda todo um contexto. Pode culpar um inocente! (Não creio que seja essa a intenção do Jornal.)

  2. elcio

    17 de maio de 2015 at 12:35

    Porque não publicam ,pelo menos isso, a foto desse criminoso que atropelou e matou o rapaz? Cadê os políticos para criar leis mais severas para punir tal crime?

  3. CARLOS SANTOS

    17 de maio de 2015 at 08:52

    A FAIXA AZUL SE TORNOU A FAIXA DA MORTE. ESSA FOI A MELHOR FORMA DO ESTADO E MUNICIPIO REALIZAR A REDUÇÃO POPULACIONAL.

  4. luis

    16 de maio de 2015 at 20:44

    Para quem precisa atravessar à pé as avenidas Constantino Nery, Djalma Batista e principalmente a Torquato tapajós sabem o quão perigoso é. Agora pergunto: Por que uma cidade rica com essa não é capaz de construi simples passarelas sobre essas avenidas ????

  5. wilton reis

    16 de maio de 2015 at 18:39

    Acreditem, o animal que conduzia o veículo que matou o pedestre, será parabenizado pela lei.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir