Sem categoria

Facção criminosa FDN planejava disputar eleições no Amazonas

 

A facção criminosa Família do Norte (FDN) pretendia se infiltrar no Poder Legislativo do Amazonas e de Manaus. Segundo o superintendente da Polícia Federal no Amazonas, Marcelo Rezende Vieira, a intensão do grupo era ousado e já estava em fase final de planejamento.

A revelação foi feita durante entrevista coletiva, na tarde de ontem na sede da entidade, em Manaus, em decorrência da operação La Muralla, deflagrada, ontem, pela Polícia Federal.

“Durante as investigações, pudemos perceber que a quadrilha se preparava para um passo mais ousado: eles queriam colocar integrantes do grupo em cargos eletivos do Estado”, disse Rezende.

Segundo o superintendente, não foram divulgadas siglas de partidos ou cargos específicos, mas não se descartava nem cargos de grande expressão, como de deputado estadual ou federal.

Além da política, há fortes indícios, segundo a Polícia Federal, de que a quadrilha estava infiltrada na administração pública do Estado, mais precisamente na Segurança Pública, que administra os presídios do Amazonas, alvos preferenciais da ação da quadrilha.  “Há fortes indícios de participação de agentes do poder público. Conforme os desdobramentos dessa investigação, os órgãos competentes poderão averiguar eventuais participações”, disse o superintentende da Polícia Federal, Marcelo Rezende.

A operação La Muralla desarticulou a FDN, organização criminosa transnacional que atuava principalmente no tráfico internacional de drogas, realizando, ainda, tráfico de armas, lavagem de dinheiro, evasão de divisas, roubo, homicídios e corrupção de agentes públicos. As ações transcorreram nas cidades de Manaus, Tonantins, Tabatinga, Crateús/CE, Caucária/CE, Fortaleza/CE, Natal/RN, Boa Vista/RR e Rio de Janeiro/RJ. Por meio de cooperação internacional, pela Difusão Vermelha da Interpol, também serão efetuadas prisões no Peru, Colômbia, Venezuela e Bolívia. A investigação teve início em abril de 2014 com a apreensão de R$ 200 mil, em espécie, pela Polícia Federal, no Amazonas.

 

Vereador preso

O vereador de Tonantins, Radson Alves de Souza (PSD), de 33 anos, foi preso no município durante a operação. Ele é natural de Tabatinga e utilizava sua conta bancária para movimentar dinheiro oriundo do tráfico de drogas da quadrilha, segundo a Polícia Federal.

Ainda não se sabe se o político era apenas um “laranja” do grupo ou também exercia algum outro tipo de atividade ilícita. Dados do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) mostram que Radson utilizou mais de R$ 20 mil na campanha eleitoral nas eleições, em 2012.

 

Por Fred Santana

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir