Holofotes

Fã que atacou Ana Hickmann ameaçou fazer roleta-russa, diz assessora

O homem armado que ameaçou a apresentadora Ana Hickmann, 35, afirmou que faria uma roleta-russa para ver se ela tinha sorte, segundo depoimento da concunhada e assessora Giovana Alves à Polícia Civil de Minas Gerais. Alves estava no local e foi ferida com dois tiros.

“[Segundo a assessora], em certo momento ele [o agressor] falou assim: eu estou com uma bala a menos no revólver, vamos jogar roleta-russa para ver se você tem sorte”, disse o delegado responsável pelo caso, Flávio Grossi, nesta quarta-feira (25).

No sábado (21), Rodrigo de Pádua, 30, invadiu o quarto de hotel onde Hickmann se hospedava, em um bairro nobre de Belo Horizonte, com um revólver calibre 38. A apresentadora, a concunhada e o cunhado Gustavo Belo foram rendidos. Depois de uma luta corporal com Belo, Pádua morreu com dois tiros na nuca.

A Polícia Civil ouviu Giovana Alves nesta terça (24), como parte do inquérito que investiga o caso. O segurança do hotel e o irmão de Pádua, Helisson, também depuseram.

Apesar da ameaça de fazer roleta-russa, o tambor do revólver de Pádua estava cheio, com cinco balas. A perícia descobriu que ele guardada mais cinco munições no bolso. “[A ameaça] Não quer dizer que condiz com a verdade”, disse o delegado Grossi.

No depoimento à polícia, Alves também disse que consolava Hickmann no colo quando Pádua atirou, com a mira apontada para a cabeça da apresentadora. A bala atingiu ombro da assessora.

O inquérito tem 30 dias para ser concluído, e pode ser adiado, mas Grossi diz que tentará antecipá-lo. Até agora, a morte de Pádua é encarada como um ato de legítima defesa.

O caso

Rodrigo de Pádua se dizia fã da modelo e rendeu Belo no corredor para forçá-lo a entrar no quarto. Muito agitado e falando frases desconexas, ele obrigou os três a se virarem de costas.

Do lado de fora do recinto, o cabeleireiro Júlio Figueiredo gravou o áudio do momento antes de chamar a segurança. “Eu sou um ser humano, cretina”, gritou Pádua. “Eu tenho coração. Eu te falei um milhão de vezes.”

Pádua também gritou que não era assassino, e ao ser questionado porque estava com a arma na mão, respondeu: “Porque ela [Hickmann] é uma mentira. Uma filha da p…. Duvidou do amor que eu tinha, sua v….”.

A mãe dele, Wanda Simões de Pádua, disse na segunda (23) que seu filho não tinha intenção de atacar ou machucar Ana Hickmann.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir