Sem categoria

Com a queda das exportações no PIM, representantes do setor realizam treinamentos para recuperar mercado

No primeiro quadrimestre do ano o Amazonas exportou volume de US$ 189,7 milhões, enquanto no ano passado a indústria alcançou US$ 217,1 milhões em exportação, no mesmo período - foto: Diego Janatã

No primeiro quadrimestre do ano o Amazonas exportou volume de US$ 189,7 milhões, enquanto no ano passado a indústria alcançou US$ 217,1 milhões em exportação, no mesmo período – foto: Diego Janatã

 

Com queda nas exportações do Polo Industrial de Manaus (PIM), de 12,59%, nos quatro primeiros meses do ano, em relação ao mesmo período de 2015, representantes do setor buscam saídas para recuperar as vendas para o mercado internacional. Como primeiro passo para recuperar a competitividade, o Centro Internacional de Negócios do Amazonas (CIN-AM), da Federação das Indústrias do Estado do Amazonas (Fieam), promove no próximo dia 1° de junho um treinamento gratuito sobre a importância e vantagens do certificado de origem.

Enquanto no primeiro quadrimestre de 2015 a indústria amazonense exportou US$ 217,1 milhões, no mesmo período de 2016 o volume recuou para US$ 189,7 milhões. O resultado sofreu influência principalmente da queda das exportações para Venezuela, que no ano passado comprou do PIM US$ 49,8 milhões e neste ano o volume caiu para US$ 43,7 milhões, o equivalente a menos 12,21%.

Outra grande queda nas exportações ocorreu na relação com os Estados Unidos da América (EUA), para onde foram exportados, nos primeiros quatro meses do ano passado, um volume de US$ 13,5 milhões e no mesmo período deste ano alcançou apenas US$ 7,4, o equivalente a uma queda de 45,48%.

O certificado de origem é um documento que concede aos exportadores, segurança e credibilidade de seus produtos em países com os quais o Brasil tem acordos comerciais. Já os importadores desses produtos poderão ter reduções ou isenções de impostos nas alíquotas tributárias e com isso um preço mais competitivo.

A instrutora do curso será Camilla Mafissoni, graduada em administração com ênfase em comércio exterior, com experiência na área internacional desde 2005. Camilla possui conhecimento da legislação do comércio exterior, que abrange as áreas de câmbio, regulamento aduaneiro, classificação tributária, documentação, coordenação de logística ‘doo to door’.

Também serão ministradas informações sobre a composição e análise de custos na importação e exportação, faturamento e prestação de contas. Ela também foi tutora no curso Técnico de Classificação tributária, específico para Auditores Fiscais da Receita Federal e desde o final de 2014, compõe o quadro de colaboradores da Confederação Nacional da Indústria (CNI), atuando diretamente com Certificação de Origem Digital (COD).

Para o gerente do CIN-AM, Marcelo Lima, sensibilizar sobre a importância da certificação de origem é garantir segurança e chances de sucesso no mercado internacional. “É importante continuarmos massificando os benefícios e vantagens que os empresários passam a ter quando decidem aderir ao certificado de origem. Ele traz competitividade de preços, segurança do produto comercializado, atesta oficialmente o país de origem da mercadoria exportada, e isso significa sem dúvidas, ampliação do acesso ao mercado, bem como maior faturamento”, explicou o gerente.

Cursos para usuários do COD Brasil

O treinamento ocorre no dia 1° de junho das 14h às 18h e será realizado no Auditório Ernane Leão de Freitas, na sede da Fieam, localizada na Avenida Joaquim Nabuco, n° 1919, Centro. O público alvo do curso são usuários do sistema COD Brasil, empresas exportadoras, fabricantes e despachantes.

Serão abordados especificamente os temas como o conceito do certificado de origem, vantagens na emissão, países que o Brasil tem acordo, documentos exigidos, incoterms, regras de origem, propósitos e resultados, operações insuficientes, insumos PTC (Mercosul) e passo a passo para utilização do sistema COD Brasil.

Segundo Marcelo Lima, sensibilizar os empresários sobre a importância do certificado, sobre os avanços da assinatura digital e acordos que o Brasil faz parte, é o que a entidade tem buscado desde a implantação do COD no Amazonas. “Obter conhecimento é o melhor caminho para o sucesso por isso, convocamos que os empresários amazonenses participem desse treinamento”, frisou o diretor.

Por Emerson Quaresma e assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir