Mundo

Explosões em comício na Turquia deixam duas pessoas mortas

Duas bombas explodiram neste sábado (6) durante um comício do Parido Democrático dos Povos (HDP) em Diyarbakir, no sudeste da Turquia. Duas pessoas morreram e outras 350 pessoas ficaram feridas (30 em estado grave).

“As bombas explodiram justo antes de eu começar meu discurso”, disse Selahattin Demirtas, dirigente do partido opositor e pró-curdo. “Enquanto tentávamos resgatar pessoas que tinham perdido as pernas, os pés, os braços, a polícia lançava gás lacrimogêneo”, denunciou Dermitas em reunião de seu partido em Istambul.

Os presentes gritavam palavras de ordem contra o presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, quando o dirigente do HDP mostrou jornais que não noticiaram o atentado desta sexta (5) contra o comício do partido pró-curdo.

A explosão foi causada, segundo forças de segurança citadas pelo jornal “Hurriyet Daily”, por uma bomba no interior de um cilindro de gás recheado de estilhaços metálicos, e uma bomba de som.

Por sua parte, Erdogan declarou neste sábado que o ataque não se dirigia contra um partido, mas contra a segurança das eleições, e disse que tinha tentado comunicar-se com Dermitas, mas que este não retornou suas ligações.

“Ele não tem porque me ligar. Ele nos colocou como alvo e nos jogou contra uma matilha de lobos. Se é o presidente de todo um país, venha e desculpe-se com o povo de Diyarbakir”, criticou Dermitas.

O HDP espera conseguir nas eleições de domingo (7) pelo menos 10% dos votos, o que lhe permitiria entrar no parlamento.

Se conseguir, o partido governante, AKP, não poderia conseguir a maioria de dois terços necessária para a reforma constitucional que planeja para transformar o sistema parlamentar da Turquia em uma república presidencialista.

Por Folha Press

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir