Esportes

Experientes se enfrentam no clássico duelo entre Nacional e São Raimundo pelo Barezão

Rodrigo Ramos, aos 34 anos, é um dos jogadores mais experientes do elenco do Nacional e tem auxiliado os mais novos. - foto: Diego Janatã

Rodrigo Ramos, aos 34 anos, é um dos jogadores mais experientes do elenco do Nacional e tem auxiliado os mais novos. – foto: Diego Janatã

Eles chegaram sem chamar a atenção do público. Alguns torcedores acreditavam que o auge deles já tinha passado. O grande motivo dessa desconfiança era a idade. Ambos os atletas estão com mais de 30 anos, porém, o goleiro nacionalino Rodrigo Ramos e o meia-atacante sãoraimundense Neto provaram dentro de campo que a experiência apenas ajuda mais nas horas decisivas das partidas. Os atletas estarão em campo na tarde deste domingo (3) no principal confronto da 13ª rodada do campeonato amazonense 2015. A bola vai rolar às 18h no estádio da Colina para Nacional e São Raimundo.

Rodrigo Ramos chegou ao Nacional no começo desta temperada. Sua contratação foi um pedido especial do então técnico Sinomar Naves. Mostrando nos primeiros treinamentos uma forte liderança, o goleiro que fez história no Sampaio Correa (MA) rapidamente assegurou a camisa 1 do Leão. Segundo Rodrigo, o segredo para se manter em alto nível por longo tempo é saber aliar a preparação antes das partidas e o descanso necessário durante a semana.

“Me cuido bastante. Isso desde a época dos juniores. Não tenho nenhum tipo de vício e costumo dormir bem cedo. Fora isso, sou um dos primeiros que chega para treinar e um dos últimos a sair. Trabalho muito a questão física. Estou muito bem. Tenho 34 anos e vivo, desde o ano passado, uma das melhores fases da minha carreira”, afirmou o arqueiro.

Durante os treinamentos, é possível observar que o goleiro nacionalino sempre está conversando ou aconselhando algum jogador. Dentro do grupo, Rodrigo é um exemplo para atletas mais novos como os também goleiros Wágner e Thiago. Questionado sobre esse papel no grupo do Nacional, Rodrigo Ramos admitiu que é uma grande responsabilidade ser exemplo para os companheiros, porém afirma ser gratificante ajudar quem está começando no futebol.

“Sem sombra de dúvida isso é uma responsabilidade muito grande, mas acho uma responsabilidade bacana. Sempre tento aconselhar os mais novos. Foi assim por onde passei e estou repetindo isso no Nacional. Tento ajudar dando informações ou corrigindo detalhes. Fora isso, acabo aprendendo também. Não tem idade para isso. Essa troca de informação é bem legal. Graças a Deus tenho uma carreira bem consolidada e experiente. Posso sempre estar ajudando os mais novos”, argumentou o jogador que lamenta o fato de ter vistos jovens promessas se perdendo na vida por causa de mulheres, baladas e vícios.

“Já vi muitos atletas que não têm uma vida regrada, se perdendo. A estrutura familiar também é importante para ajudar. Jogadores talentosos que acabam se perdendo na carreira por isso. Esse fato me deixa muito triste. Por isso tento ajudar os mais novos. Minha experiência nessa hora ajuda”, concluiu.

Por Thiago Fernando (equipe EM TEMPO)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir