Dia a dia

Exame pré-nupcial tem procura tímida em Manaus

Realizado semanas antes do casamento, exame pode revelar uma série de complicações que podem comprometer a vida do casal no futuro - Foto: Divulgação

Realizado semanas antes do casamento, exame pode revelar uma série de complicações que podem comprometer a vida do casal no futuro – Foto: Divulgação

Casados e de papel passado, literalmente. De preferência, antes de declarar o sim no altar, os casais estão buscando com mais frequência realizar o exame pré-nupcial, que não é obrigatório. Em Manaus, um único laboratório realiza entre 25 a 30 testes, em média, por mês. O exame detecta infecções, incompatibilidade sanguínea, infertilidade e Doenças Sexualmente Transmissíveis (DSTs).

“Embora a maioria dos casais já tenha uma vida sexual ativa, alguns exames feitos antes do casamento, o chamado pré-nupcial, podem avaliar a saúde tanto do homem quanto da mulher, preparando-os e sanando dúvidas a respeito de fertilidade, incompatibilidade sanguínea, doenças e até disfunções, garantindo a vida saudável do casal futuramente”, explica a bioquímica Hellen Karolyne Correia de Toledo, do Laboratório Sabin.

A médica lembra que a união é algo muito importante ao casal, por isso é essencial saber se a saúde está perfeita. Hellen Karolyne diz que o exame pré-nupcial é simples, a partir da coleta de sangue e urina e também vale para os casais homoafetivos. “Qualquer casal pode realizar esse exame, sem necessariamente estar de casamento marcado. O resultado é rápido e sai em três dias”, informa.

Nos homens, o exame é feito com o sangue e identifica doenças como hepatite B e C, Aids e sífilis. Também é feita a tipagem sanguínea, hemograma completo e glicemia. Exames de fezes e urina ajudam a diagnosticar a disfunção renal. “Há ainda o espermograma, que é fundamental para verificar a fertilidade masculina. É possível iniciar um tratamento precoce, garantindo assim uma gravidez saudável e planejada para o futuro”, comenta.

Já a toxoplasmose, rubéola e citomegalovírus, que são doenças extremamente prejudiciais se contraídos durante a gestação, podem ser diagnosticadas no pré-nupcial das mulheres. “O exame de sedimento urinário também é solicitado para diagnosticar possíveis cistites, além de uma avaliação ginecológica, incluindo o histórico clínico das pacientes para diagnosticar possíveis fatores de risco no caso de uma gestação, como hipertensão arterial, problemas de tireoide e diabetes”, esclarece a bioquímica.

Segurança

A universitária Bruna Souza dos Santos Amaral, 24, realizou o exame dois meses antes de casar. Ela considera o teste importante, porque trouxe segurança na relação com o, agora, marido. “Aos 19 anos, eu participei de um curso para noivos em uma igreja evangélica e fui orientada a fazer o exame pré-nupcial”, informa. “Fiz exame de sangue, de urina e, por último, o preventivo, o que foi novidade para mim. A ginecologista que me acompanhou durante o processo me receitou uma pílula contraceptiva e fez orientações acerca dos cuidados diários. Eu recomendo às noivas terem esse acompanhamento antes do casamento”, aconselha.

Entre as mulheres que ainda não tiveram relações sexuais, esse tipo de exame é fundamental pois, além da avaliação história clínica, a futura esposa poderá tirar qualquer dúvida a respeito da relação sexual, garantindo assim tranquilidade na noite de núpcias. “O ideal é fazer os exames pré-nupciais quatro meses antes do casamento, pois caso sejam diagnosticadas infecções virais ou bacterianas é possível tratá-las a tempo. Em Manaus, esse tipo de exame não é muito divulgado como nas regiões Sudeste e Centro-Oeste, é de fundamental importância para a vida saudável do casal”, destaca Hellen Karolyne.

Quem também resolveu realizar o exame antes de casar foi a assistente administrativa Paula Ferreira, 35. Ela conta que foi orientada a fazer o exame pré-nupcial durante o curso de noivos de sua igreja. “Eu não sabia da importância do exame e nem que o mesmo existia. Eu fiz junto com o meu marido e o resultado não demorou muito. Foi bom porque eu me senti mais segura e ele também. Fizemos a coisa certa e eu indico o exame àqueles que pretendem seguir uma vida a dois”, comenta.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir