Dia a dia

Ex-funcionário do CIOPS é identificado como suspeito de ameaça terrorista no AM

O suspeito usava Ali Oziris Lundi como nome batismo - foto: reprodução

O suspeito usava Ali Oziris Lundi como nome batismo – foto: reprodução

Oziris Moris Lundi dos Santos Azevedo, 27, foi preso na operação ‘Hashtag’, nesta quinta-feira (21), por equipes da Polícia Federal (PF), em Manaus, suspeito de planejar um atentado terrorista. Conforme o secretário de Segurança Pública, Sérgio Fontes, o suspeito é ex-atendente do Centro Integrado de Operações de Segurança (CIOPS), e há alguns dias jurou fidelidade ao grupo terrorista que se denomina ‘Estado Islâmico’. O suspeito usava Ali Oziris Lundi  como nome batismo.

Mandados de prisão foram expedidos pela 14ª Vara Federal de Curitiba-PR e ao todo, dez prisões temporárias, duas conduções coercitivas e 19 buscas e apreensões foram solicitadas em todo o País. A pena para acusados pode chegar a 15 anos de prisão.

A informação foi confirmada por Sérgio Fontes, durante coletiva de imprensa na manhã desta quinta. “A secretaria estava acompanhando as investigações junto à Polícia Federal. Sabíamos da atuação dessa pessoa. Não posso falar mais detalhes porque está em segredo de Justiça. Sabemos que tem mais gente sendo monitorada. Desminto que o homem seja ex-chefe de Tecnologia da Informação do Ciops, ele era apenas um atendente do órgão”, revelou Sergio Fontes.

De acordo com a PF, aproximadamente 130 policiais participam da operação “Hashtag”. As investigações, que tiveram início em abril deste ano, pretendem coibir ações de pessoas envolvidas com o grupo islâmico que articula ataques terroristas no mundo. Os investigados, devem responder na medida de suas participações, individualmente pelos crimes de promoção de organização terrorista e realização de atos preparatórios de terrorismo, ambos previstos na Lei 13.260/2016.

Embora a informação cause pânico para algumas pessoas, por conta do histórico de terrorismo divulgado atualmente na mídia, a informação foi recebida pelo presidente do Comitê Organizador Olímpico Manaus 2016, Mário Aufiero, como demonstração de preparo de órgãos de segurança do Estado e do restante do País. “Isso fortalece cada vez mais a imagem dos jogos olímpicos no mundo. Pois demonstra que a segurança está preparada e estão realmente antecipando o que poderia ser um ato terrorista durante os jogos”, disse.

Comunidade Islâmica repudia o ocorrido

De acordo com o presidente do Centro Islâmico do Amazonas, Walid Saleh, o suspeito de planejar atividade terrorista preso nesta quinta não tem nenhum tipo de ligação com a comunidade Islâmica do Amazonas.

Saleh afirma que este é um caso pontual, e que todos do Centro Islâmico estão surpresos com o ocorrido. “Um verdadeiro mulçumano ou seguidor de outra religião monoteísta não compactua com a violência e não há ligação alguma entre o que aconteceu e o Centro Islâmico”, disse Saleh destacando que o suspeito já não frequenta a mesquita há mais de dois anos.

Por Asafe Augusto

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir