Política

Ex-diretor da Petrobras se diz arrependido de integrar esquema de corrupção

Apesar do desabafo, Paulo Roberto Costa, não respondeu às perguntas dos parlamentares da CPI, usando o direito de ficar calado – foto: Marcelo Camargo/ABr

Apesar do desabafo, Paulo Roberto Costa não respondeu às perguntas dos parlamentares da CPI, usando o direito de ficar calado – foto: Marcelo Camargo/ABr

Em depoimento na Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) da Petrobras, o ex-diretor de Abastecimento da estatal Paulo Roberto Costa voltou a dizer, nesta terça (5), que se arrepende de ter participado do esquema de corrupção na empresa e reiterou que está “pagando com muito sofrimento”.

“A origem do que aconteceu na Petrobras foram maus políticos que fizeram isso acontecer. A oportunidade do Brasil agora é fazer uma ruptura de um sistema podre. Eu estou dando minha contribuição com muito sofrimento e muita dificuldade. Quero um país melhor no futuro. Estou pagando por isso, e não está sendo fácil”, disse Costa, adiantando que pretende contribuir com os trabalhos da CPI, respondendo às perguntas dos deputados.

É a terceira vez que ele vai ao Congresso depor sobre as irregularidades na estatal. Em setembro do ano passado, Costa esteve no Congresso para depor na comissão parlamentar mista de inquérito (CPMI) que investigava denúncias de corrupção na companhia.

Ele, no entanto, não respondeu às perguntas dos parlamentares, usando o direito de ficar calado.

Em dezembro, o ex-diretor voltou à Casa para uma acareação com o ex-diretor da Área Internacional da Petrobras Nestor Cerveró.

Na ocasião, Costa declarou que o caso da Petrobras se repete em todos os outros setores públicos do Brasil – “nos portos, nos aeroportos, nas rodovias, nas ferrovias e nas hidrelétricas” –, e disse que “ninguém chega à diretoria da Petrobras sem uma indicação política”.

Por Agência Brasil (ABr)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir