Esportes

Ewerton Amorim é mais nova promessa do jiu-jitsu amazonense

Ewerton já está familiarizado com o lugar mais alto do pódio-foto: divulgação

Ewerton já está familiarizado com o lugar mais alto do pódio-foto: divulgação

A mais nova promessa do jiu-jitsu amazonense começa a dar seus primeiros passos rumo ao estrelato. Ewerton Amorim, de apenas 9 anos, já possui em sua curta carreira vários títulos. Ainda na faixa branca com dois graus, o garoto já se consagrou campeão da Copa Amazon Open, Copa América, Campeonato Amazonense, Copa Osvaldo Alves e, recentemente, conquistou o Campeonato Mundial da Confederação Brasileira de Jiu-Jitsu Esportivo (CBJJE), realizado no mês de julho em São Paulo.

Há Pouco mais de nove meses na modalidade, a rotina de Ewerton é desgastante. Ele concilia os estudos com treinamentos diários na academia do Projeto Social Fernando Braga Omar Salum, localizado no centro de Manaus, onde também participa de uma ação que ajuda crianças carentes da mesma escola. A família do garoto acredita muito no potencial dele, pois mesmo com pouco tempo no esporte, é notável a sua dedicação.

Ciente dos desafios enfrentados para chegar ao profissionalismo, o pequeno destaca o esforço e dedicação no dia a dia. “Eu pretendo continuar na carreira como atleta, porque é um esporte que gosto muito. É sem explicação. Quando entro no tatame é somente eu e meu adversário, é muito legal!”, disse.

Para o pai do atleta, Elias Amorim, ver o filho se destacar em um esporte muito praticado no Estado é, sem dúvida, um motivo de orgulho para toda família. “Sinto-me muito orgulhoso pelo meu filho. Confesso que jamais imaginei que ele poderia sair de Manaus para disputar um campeonato fora do Estado, ainda mais sendo um mundial. Até hoje não caiu a ficha.”, afirmou.

Mesmo com todo esse talento na modalidade, o garoto, assim como muitos atletas iniciantes, sofre com a falta de patrocínio. O pai lamenta o atual momento vivido fora dos tatames. Segundo ele, a falta de incentivo por partes dos órgãos públicos e privados prejudica muito o futuro da carreira promissora do jovem atleta. “Trabalho e ganho um salário mínimo para sustentar meus quatro filhos, e com isso fica cada vez mais difícil para ele participar dos campeonatos devido estar financeiramente desprovido, porém eu faço o que posso para realizar o sonho do meu filho”, falou.

Assim como toda criança, Ewerton sonha alto. O garoto pensa em se tornar professor da arte suave e dar aulas, ensinando e desenvolvendo a esperança e união de todos que buscam lazer e bem-estar no esporte. “Meus planos para o futuro, se Deus permitir, é de me tornar um grande professor de jiu-jítsu, chegar ao patamar de um profissional, ajudar com o projeto igual ao que eu participo, dar aula para crianças carentes também, levar o nome do Estado em nível mundial. O que mais me motiva é o apoio dos meus pais e irmãos. Todos veem minha dedicação, determinação e esforço para ganhar os campeonatos que disputo isso sim faz toda a diferença”, finalizou.

Por Lindivan Vilaça

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir