Cultura

Evento, em Manaus, mistura debates sociais e rock

Entre as atrações estão as bandas Anônimos Alhures, Kely Guimarães, Ritmo e Poesia, MC Branquela, Silent, Johnny Jack Mesclado, Extreme Warning e Eutanase - foto: divulgação

Entre as atrações estão as bandas Anônimos Alhures, Kely Guimarães, Ritmo e Poesia, MC Branquela, Silent, Johnny Jack Mesclado, Extreme Warning e Eutanase – foto: divulgação

O rock é a inspiração para o evento Grito Rock Manaus que pretende ser um palco de debate sobre racismo, violência e homofobia. O evento acontece neste sábado (13), a partir das 14h, em apresentações no Les Artistes Café Teatro, na avenida 7 de Setembro, 377, Centro e no Instituto Amazônia que fica na rua Bernardo Ramos, 145, também no Centro. A entrada é gratuita. Os presentes poderão gritar contra as injustiças sociais, além de curtir uma boa música.

Paralelo aos shows, os fãs podem participar de mesas redondas no Instituto Amazônia. “Esses debates são um fórum para se discutir questões como a discriminação contra os homossexuais, os negros, enfim, as minorias, e criar um movimento de mobilização para combater essas ações”, explicou Michelle Andrews, coordenadora do evento.

Haverá também uma roda de conversa entre produtores audiovisuais com integrantes do Escritório Regional Norte da Linha de Produção de Conteúdos, que produzem vídeos para as TVs públicas. Os ativistas Walter Juur e Francy Junior estão entre os palestrantes.

Na música, o Grito Rock pretende estimular a troca de experiências entre as bandas, além, claro, de entretenimento para os fãs desse gênero musical. “O Grito Rock já acontece há nove anos e é uma opção para os fãs, inclusive uma alternativa de espetáculo para quem não gosta de carnaval e pode apreciar grandes sucessos do rock logo após as festas carnavalescas”, disse Michelle Andews.

Entre as atrações estão as bandas Anônimos Alhures, Kely Guimarães, Ritmo e Poesia, MC Branquela, Silent, Johnny Jack Mesclado, Extreme Warning e Eutanase. “Esse evento é uma oportunidade às bandas para mostrar o seu melhor. No caso da Johnny Jack Mesclado, vamos cantar apenas músicas de nossa autoria, inclusive do nosso mais recente trabalho, o CD Añoranza”, revelou Frederico Paulus, da Johnny Jack, que prometeu muito reggae, também.

A organização do evento definiu a contratação dos grupos de rock com base em novos trabalhos e outros já consolidados, informou produtor Beto Montrezol e a jornalista Renata Paula. Mais de 100 trabalhos foram inscritos no site Toque no Brasil (TNB). Os gêneros apresentados na noite, vão do indie rock, passando pelo reggae e rap e encerrando com o metal.

O Grito Rock é realizado também em São Paulo, Minas Gerais, Paraíba, e Rio Grande do Sul. Houve edições na Argentina, Uruguai e abo Verde, na África.

Por Luis Henrique Oliveira

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir