País

Evento fotográfico no Cristo alerta para importância de proteger as florestas

Ponto turístico mais famoso do Brasil, o Cristo Redentor, no Rio de Janeiro, vai refletir hoje (5) à noite, a partir das 19h, imagens de florestas feitas por fotógrafos nacionais, como parte das comemorações do Dia da Amazônia, neste sábado.

A iniciativa da organização não-governamental (ONG) WWF-Brasil visa enviar uma mensagem para a sociedade brasileira sobre a importância da Floresta Amazônica para o Brasil e para o mundo. “E destacar, nesse aspecto, a importância das áreas protegidas para a manutenção do clima, da água”, explica o analista de Políticas Públicas da WWF-Brasil, Michel Santos.

Segundo Michel, a atual escassez hídrica que o país enfrenta em algumas das principais cidades brasileiras está relacionada ao desmatamento na Amazônia e à falta de preocupação com as áreas protegidas, de forma geral.

Somando unidades de conservação (parques, reservas, estações ecológicas) e terras indígenas, as áreas protegidas no Brasil correspondem a cerca de 2,6 milhões de quilômetros quadrados, dos quais em torno de 50% se encontram na Amazônia.

O Cristo Redentor, por exemplo, está situado em área protegida, que é o Parque Nacional da Tijuca. “Nossa intenção é mandar uma mensagem para as autoridades brasileiras, destacando a importância da manutenção das áreas protegidas, para a ocorrência de um clima mais ameno e de um regime de chuvas equilibrado”, diz o analista da WWF-Brasil.

A projeção de imagens de florestas no Cristo Redentor ocorrerá de forma sincronizada na cidade alemã de Colônia, onde vivem muitos brasileiros. Em um telão colocado em frente à Catedral de Colônia, serão projetadas 150 fotos exclusivas do fotógrafo brasileiro Sebastião Salgado, coletadas por ele na Amazônia e que integram seu mais recente livro, intitulado Gênesis, fruto do projeto do mesmo nome.

Outros fotógrafos que terão trabalhos exibidos no evento são Adriano Gambarini, Edward Parker, Zig Koch e Leonardo Milano As projeções serão feitas ao som de músicas de Villa-Lobos, autor da suíte sinfônica A Floresta do Amazonas, que será apresentada durante a celebração, informou a assessoria de imprensa da ONG.

Com os dois eventos, a entidade pretende antecipar o debate que ocorrerá a partir de 30 de novembro próximo na Convenção das Nações Unidas sobre Mudança do Clima (COP21), em Paris, salientando a importância da Floresta Amazônica e das áreas protegidas para a manutenção do clima.

“Quando você combate o desmatamento, evita a emissão de gases de efeito estufa (GEE) na atmosfera”, afirma Michel Santos, segundo o qual com a criação dessas áreas protegidas e sua preservação o Brasil tem uma reserva, ou estoque, que contribui para a captura desses gases na atmosfera.

Santos explica que, nos diversos biomas brasileiros, há necessidade de atenção especial com as leis e os aspectos que promovem a destruição das florestas e desses biomas: “Uma maneira de impedir esse avanço é por meio da criação de áreas protegidas, da valorização dessas áreas”. De acordo com a ONG, dezenas de projetos de lei e iniciativas no Congresso Nacional colocam essas áreas em risco ou impedem o desenvolvimento de mecanismos que ampliem a proteção às Unidades de Conservação e Terras Indígenas.

À medida que se aproximar a data de realização da COP21, a intenção da WWF-Brasil é fazer outras ações e atividades que chamem a atenção da sociedade, “não só no Brasil, mas envolvendo a rede WWF em outros países, da importância de um bom acordo em Paris”. Ao término do evento no Cristo Redentor, as fotos estarão disponíveis na página na internet.

Por Agência Brasil

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir