Saúde e Bem Estar

Estresse é a principal causa de doenças em 35% da população de Manaus

No Dia mundial de Prevenção do Estresse, não há muitos avanços a comemorar. Considerado a doença do século por cientistas de todo o mundo, o estresse é uma das principais doenças que levam o individuo a morte, pois seus sintomas, muitas vezes imperceptíveis, geralmente estão relacionados com o trabalho, vida social e eventuais consequências do cotidiano.

De acordo a Organização Mundial de Saúde (OMS), 90% da população mundial sofre de estresse. No Brasil, o problema afeta 80% da população, de acordo com dados da International Stress Management Association (ISMA).

Em Manaus, 35% da população sofre do mal, mas desconhecem os sintomas, segundo aponta o médico cardiologista Jefferson Jezzini, que atende diariamente pacientes com sintomas de estresse em seu consultório.

“Na maioria das vezes, os pacientes me procuram para realizar consultas periódicas, o chamado ‘check up’, e durante esses diagnósticos é que descubro os indícios de ‘estresse’, na maioria das vezes no inicio”, ressaltou o cardiologista.

“O estresse nada mais é que os problemas diários que guardamos internamente, como os caos urbanos que vivemos com os congestionamentos, o aumento da violência, o desemprego e diversos fatores que levam as pessoas a essas patologias psicossociais”, afirmou o médico.

Na capital, de acordo com a assessoria de comunicação da Secretaria Municipal de Saúde (Semsa), as UBSs e SPAs distribuídas nos distritos sanitários têm psicólogos, além dos médicos e uma equipe interdisciplinar que atende especificamente essa demanda, como critério de prevenção às causas do estresse.

A reportagem do Jornal EM TEMPO Online entrou em contato com o diretor presidente do Departamento Estadual de Trânsito (Detran), Leonel Feitoza, sobre a influencia do estresse em ocorrências e discussões no trânsito da capital.

“Infelizmente a maioria dos condutores usa o trânsito de maneira errada no que diz respeito a atitudes, ou seja, extravasando suas emoções, principalmente quando se trata de buzina excessivamente, fazer ultrapassagens perigosas e até em sinais de trânsito que demoram. Isso representa a maioria das pequenas ocorrências” enfatiza.

Por Mairkon Castro

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir