Dia a dia

Estelionatário é preso no momento em que pretendia aplicar golpe, no Vieiralves

Paulo César foi indiciado por estelionato. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial - foto: divulgação/PC

Paulo César foi indiciado por estelionato. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial – foto: divulgação/PC

Paulo César Silva Pinheiro, 33, foi apresentado na manhã desta segunda-feira (15), na Delegacia Geral, investigado pelo crime de estelionato. Ele aplicava golpes em comissões de formaturas.

O homem foi preso pela equipe da 1ª Seccional Sul, na última sexta-feira (12), por volta das 17h30, no Conjunto Vieiralves, bairro Nossa Senhora das Graças, Zona Centro-Sul, em cumprimento a mandado de prisão preventiva expedido no dia 11 de abril deste ano, pela juíza da 9ª Vara Criminal, Careen Aguiar Fernandes.

De acordo com o delegado, titular da Rodrigo Barreto, Paulo teria aplicado golpes em ao menos em sete comissões de formatura de diferentes centros de ensino superior da capital, causando um prejuízo aos formandos de aproximadamente R$ 300 mil.

“Soubemos, por meio de vítimas, que Paulo César iria se reunir com uma nova comissão de formatura e fomos até o local para cumprir o mandado de prisão em nome dele, que estava em aberto. Conseguimos interceptá-lo no momento em que ele estava reunido com membros de uma comissão de formatura que pretendia ludibriar”, declarou o titular da 1ª Seccional Sul.

Conforme Rodrigo Barreto, o homem trabalhou dois anos no ramo de produção de eventos de formatura, mas foi quando ele abriu a própria empresa é que começou a praticar os golpes. Ele costumava mudar de endereço constantemente e oferecia serviços relacionados à organização de formaturas. Além de providenciar o espaço, a decoração e o grupo musical que trabalharia no evento, Paulo César também atuava como mestre de cerimônias.

“Ele trabalhava como uma espécie de gerente dos prestadores de serviço terceirizados. Logo que as comissões de formatura fechavam o contrato e pagavam o adiantamento solicitado por Paulo César, o homem trocava o número de contato, o endereço da empresa e sumia. Após tomarmos conhecimento da situação, nossa equipe iniciou as investigações com o intuito de apurar os fatos e tentar localizar o infrator”, explicou Rodrigo Barreto.

O delegado informou que durante quatro meses de investigações, sete comissões de formatura vitimadas pelo homem foram ouvidas. Em março deste ano o homem teria comparecido para prestar esclarecimentos na Delegacia Especializada em Proteção ao Consumidor (Decon), por conta de um golpe contra finalistas do curso de Engenharia de uma faculdade localizada na zona Centro-Sul da cidade, mas acabou liberado na época.

A enfermeira Daiana Bezerra, 28, fazia parte da comissão de formatura da faculdade onde estudava, em 2014. Na época, os alunos fecharam contrato com a empresa de Paulo, chegando até a efetuar o pagamento de cerca de R$ 14 mil. Porém, nunca tiveram a tão sonhada festa de formatura. “Infelizmente depositamos a nossa confiança e sonhos na pessoa errada e, por conta disso, acabamos não realizando nosso desejo de colar grau e guardar as memórias de um momento tão especial”, argumentou.

Barreto ressaltou que vítimas de Paulo César que ainda não formalizaram a prática ilícita que procurem a delegacia mais próxima para incluir a ocorrência no inquérito policial sobre o caso.

“Antes de fecharem contratos com empresas de qualquer ramo e efetuarem o pagamento solicitado pelo contratante, procurem consultar no site do Tribunal de Justiça (TJ) o nome do empresário e averiguar a existência de possíveis processos abertos contra a pessoa”, orientou o delegado.

Paulo César foi indiciado por estelionato. Ao término dos procedimentos cabíveis na unidade policial ele será encaminhado à Cadeia Pública Desembargador Raimundo Vidal Pessoa, onde irá permanecer à disposição da Justiça.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir