Sem categoria

Estado vai aplicar R$ 4,2 milhões no enfrentamento da malária

O anúncio foi feito durante encontro do governador com prefeitos e gestores da área da saúde de municípios onde há maior registro de malária no AM – foto: divulgação

O anúncio foi feito durante encontro do governador com prefeitos e gestores da área da saúde de municípios onde há maior registro de malária no AM – foto: divulgação

O governador José Melo anunciou na manhã desta quinta-feira (4) investimentos de R$ 4,2 milhões para o enfrentamento da malária no Estado.

O anúncio foi feito durante encontro do governador com prefeitos e gestores da área da saúde dos 12 municípios onde há maior registro de casos de malária no Amazonas, para discutir ações de reforço ao enfrentamento da doença. Também na reunião, o Plano de Intensificação das Ações de Controle da Malária para 2016, já com a definição de metas e responsabilidades a serem cumpridas, foi apresentado.

“Estamos destinando recursos para dar apoio aos municípios para equipamento, material, combustível, a parte logística todinha, para que os municípios com a estrutura que eles têm consigam desenvolver um trabalho. Aqueles municípios que são reincidentes, como Eirunepé, Ipixuna, Lábrea, São Gabriel da Cachoeira, vocês estão vendo que são os municípios mais distantes, mais isolados, de grandes dificuldades e distâncias, onde isso acontece. Em São Gabriel da Cachoeira, um outro agravante é que a população de lá mais de 70% é de nossos irmãos indígenas . As aldeias ficam muito distantes”, disse o governador.

Os municípios convocados para a reunião registraram, em 2015, 70% dos casos de malária no Estado. As cidades nesta situação são: Manaus, Atalaia do Norte, Barcelos, Eirunepé, Coari, Lábrea, Ipixuna, São Gabriel da Cachoeira, São Paulo de Olivença, Santo Antônio do Içá, Tabatinga e Tefé. Com o Plano de Intensificação, segundo o secretário Pedro Elias, a meta é reduzir em 20% a incidência da doença nesses municípios. Naqueles em que há ocorrência de transmissão urbana da infecção, a meta é reduzir em 50% esse indicador.

“O planejamento que a FVS (Fundação de Vigilância em Saúde) fez levou em consideração as dificuldades dos municípios e os recursos foram destinados de acordo com o grau de incidência que tem da doença e com o grau de dificuldade. Essa ação passa a acontecer de forma linear em todos os municípios que, em conjunto, representam a grande quantidade de Malária que está acontecendo esse ano, que a incidência está acima de 10%, e isso nos preocupa”, destacou José Melo.

O secretário estadual de saúde, Pedro Elias de Souza, ressaltou a necessidade de empenho das Prefeituras – que são responsáveis pela execução das ações de combate às endemias –, a fim de garantir o cumprimento das metas de redução dos casos de malária. “Em novembro do ano passado, tivemos uma primeira reunião com esses municípios e, agora, estamos voltando a nos reunir para alinhar as orientações sobre o combate à doença”.

De acordo com o diretor-presidente da Fundação de Vigilância em Saúde (FVS), Bernardino Albuquerque, órgão responsável pela consultoria técnica aos municípios, a reunião é necessária para firmar o compromisso desses gestores, no enfrentamento da endemia. “É fundamental a adesão dos prefeitos para o combate à Malária. O Estado tem a sua competência, mas os municípios precisam cumprir as metas definidas pelo Programa Estadual de Controle da Malária, portanto, essa reunião tratará de esclarecer os papeis de cada esfera, para que possamos obter o resultado esperado”, explica.

Bernardino frisou que os municípios foram orientados sobre a formulação dos seus respectivos planos de combate à malária. “Esses planos foram enviados para a FVS, foram revisados, feitos os ajustes e serão agora devolvidos para as prefeituras para serem colocados em execução”, disse Bernardino.

Entre 2014 e 2015 houve um aumento de 9,4% nos casos de Malária no Amazonas. Durante o ano passado, foram registrados 73.744 casos da doença contra 66.788 registrados em 2014. Os R$ 4,2 milhões que estão sendo aplicados pelo Governo do Estado, para o combate à Malária, contemplam recursos para custeio das ações e aquisição de equipamentos (carros, barcos, motocicletas), combustível, material permanente, insumos estratégicos (como mosquiteiros e insumos de laboratório) e equipamentos de proteção individual (EPIs), entre outros.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir