Mundo

Estado Islâmico liberta 25 reféns cristãos em troca de resgate

Os reféns libertados pertencem ao grupo de mais de 200  assírios raptados pelo Estado Islâmico no final de fevereiro na cidade de Tel Tamr - foto: reprodução

Os reféns libertados pertencem ao grupo de mais de 200 assírios raptados pelo Estado Islâmico no final de fevereiro na cidade de Tel Tamr – foto: reprodução

O grupo jihadista Estado Islâmico (EI) libertou hoje (25) no Nordeste da Síria 25 reféns pertencentes a uma minoria étnica cristã, em troca de um resgate, informou o Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Os reféns libertados pertencem ao grupo de mais de 200  assírios raptados pelo Estado Islâmico no final de fevereiro na cidade de Tel Tamr e arredores, na província de Al Hasaka (Nordeste), anunciou a ONG.

A fonte não revelou o local exato onde os 25 assírios foram libertados nem a quantia envolvida para a libertação.

No dia 9 de novembro os jihadistas tinham já libertado outros 25 assírios em Al Hasaka, após a Igreja assíria do leste ter concedido um resgate ao Estado Islâmico, que nos últimos meses também libertou alguns dos sequestrados assírios.

Al Hasaka é a zona onde se concentra a maioria dos assírios da Síria, uma minoria também presente no Iraque e Turquia.

Antes do início do conflito no território sírio, em março de 2011, cerca de 200 mil assírios habitavam no país, mas o número foi reduzido para cerca de 15 mil a 20 mil, em particular devido ao êxodo das suas populações.

O seu idioma, o assírio, é uma mistura de acádio, uma antiga língua da Mesopotâmia, e de aramáico, que também se utiliza na liturgia. De confissão cristã, são seguidores das igrejas caldeia, siríaca ortodoxa (igreja ortodoxa jacobita) e assíria do leste.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir