Mundo

Estado Islâmico anuncia a morte de seu principal porta-voz

Segundo o comunicado, Adnani foi morto "enquanto supervisionava operações para repelir campanhas militares em Alepo" - foto: divulgação

Segundo o comunicado, Adnani foi morto “enquanto supervisionava operações para repelir campanhas militares em Alepo” – foto: divulgação

Segundo o comunicado, Adnani foi morto "enquanto supervisionava operações para repelir campanhas militares em Alepo" - foto: divulgação

Segundo o comunicado, Adnani foi morto “enquanto supervisionava operações para repelir campanhas militares em Alepo” – foto: divulgação

O Estado Islâmico (EI) anunciou nesta terça-feira (30) em um comunicado ao seus colaboradores que seu porta-voz, Abu Muhammad al-Adnani, 39, um dos líderes mais antigos e mais conhecidos da facção terrorista, foi morto em Alepo, no norte da Síria.

Além de principal propagandista da facção, acredita-se que Adnani era o líder de operações do grupo e seria responsável por recrutar membros ao redor do mundo e instigá-los a realizar ataques em cidades como Paris e Bruxelas.

Segundo o comunicado, Adnani foi morto “enquanto supervisionava operações para repelir campanhas militares em Alepo”. O Estado Islâmico controla territórios na província de Alepo, mas não a cidade, onde rebeldes combatem o governo sírio. O comunicado não detalha como o líder terrorista foi morto.

Avanços recentes das Forças Democráticas Sírias, uma aliança de milícias curdas e árabes apoiadas pelos Estados Unidos, e de rebeldes sírios apoiados pela Turquia em áreas controladas pelo Estado Islâmico na região de Alepo conseguiram afastar o grupo terrorista da fronteira com a Turquia e quebrar linhas de abastecimento da facção terrorista.

O governo iraquiano afirmou em janeiro que Adnani havia sido ferido em um ataque aéreo na província de Anbar. Em seguida, o terrorista teria ido para a cidade de Mosul, a capital do Estado islâmico no Iraque.

Adnani nasceu na cidade de Idlib, no sudoeste de Alepo. Há mais de uma década, ele teria jurado lealdade à al Qaeda, segundo o Instituto Brookings.

Ele tem sido o principal rosto do grupo islâmico ultra radical desde que declarou, em junho de 2014, o estabelecimento de um califado abrangendo grandes áreas de território que haviam sido tomadas no Iraque e na Síria.

Foi por ele, por exemplo, que o Estado Islâmico mandou mensagens em maio deste ano ordenando ataques contra os Estados Unidos e Europa durante o Ramadã.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir