Dia a dia

Estado discute segurança com agências bancárias

Representantes de agências bancárias e de órgãos da segurança pública debateram estatégias que possam diminuir ataques-foto:divulgação

Representantes de agências bancárias e de órgãos da segurança pública debateram estatégias que possam diminuir ataques-foto:divulgação

Para coibir as investidas nas portas das agências bancárias e caixas eletrônicos em Manaus e no interior do Estado, órgãos do Sistema de Segurança Pública se reuniram, ontem, com representantes dos bancos para traçar medidas que auxiliem o combate aos assaltos conhecidos como ‘saidinhas de banco’.

A reunião foi articulada pela Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), que nos últimos meses vem discutindo o assunto com o objetivo de diminuir este tipo de crime.
“Essa reunião já vinha sendo planejada pelo secretário Sérgio Fontes, mas por falta de data na agenda, só agora conseguimos marcar esse primeiro encontro para tratar medidas que coíbam esta prática criminosa”, disse o secretário-executivo-adjunto de Operações do órgão, Pedro Florêncio Filho.

Ainda de acordo com ele, a ideia é unir as ações de segurança já praticadas pelos bancos com as ações da segurança pública. “Temos que melhorar essa integração entre o Sistema de Segurança Pública e segurança financeiro e dotar nessas agências equipamentos de segurança com medidas para prevenir e reprimir as ações de assaltos a bancos, assim como assaltos e sequestros com reféns e explosão de caixas eletrônicos praticados pelas quadrilhas”, explicou.

Conforme Florêncio, a Delegacia Especializada em Roubos, Furtos e Defraudações (DERFD) vem realizando ações que resultaram nas prisões de assaltantes de banco.

Melhorias

De acordo com o subcomandante da Polícia Militar, Antônio Escóssio, o esforço conjunto vai contribuir para a diminuição da prática criminosa nas agências e entornos bancários.

“Vamos auxiliar na prevenção primária quando o funcionário identificar uma pessoa em atitude suspeita no interior do banco. Se o suposto cliente está há horas e não realiza nenhum saque ou outra operação financeira, a guarnição da Polícia Militar será acionada para verificar e prevenir uma eventual ação criminosa”, explicou.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir