Esportes

Estádio Aquático abafado pode ser aliado do Brasil na natação nos Jogos

aquatico

Boa parte dos nadadores já conhecem o local que tentarão conquistar medalhas no Rio – foto: divulgação

A falta de ventilação e a sensação abafada no Estádio Aquático da Rio-2016 podem ser aliados da natação brasileira nos Jogos Olímpicos.


Em reta final de preparação, o Brasil ainda está em São Paulo, onde faz uma aclimatação no Parque Paraolímpico Brasileiro. Porém, boa parte dos nadadores já conhecem o local que tentarão conquistar medalhas no Rio.

Assim como mostrou a Folha na quinta (28), os nadadores também sentiram que o Estádio é quente e abafado.

“Nós tivemos o teste evento exatamente para isso [ventilação] ser resolvido. Se não foi é melhor pra nós”, afirmou Henrique Rodrigues, que irá disputar os 200m medley nos Jogos.

“Acho que isso é um vantagem pra nós brasileiros. Pra nós vai ser fantástico”, completou.

Prata em Londres-12 nos 400m medley, Thiago Pereira também citou a vantagem de ter participado do evento teste, mas acredita que em uma final será igual para todos.

“A gente teve a oportunidade de competir lá [no Estádio Aquático], mas acho que em uma final o calor vai estar igual para todo mundo e vai se sair melhor aquele que tiver mais adaptado”, afirmou.

A equipe brasileira vai para o Rio no dia 2, quando já ficará alojado no Parque Olímpico.

ÓCULOS

Com provas marcadas para começaram a partir das 22h na Rio-2016 devido à pressão de redes de TV norte-americanas, o Brasil adotou como preparação um óculos especial que engana o corpo dos atletas para diminuir o cansaço dos treinos e, posteriormente, das provas.

Desde quarta-feira (27), eles têm usado óculos de luz no final da tarde e óculos escuros logo depois dos treinos. A ideia da luz é fazer com que o corpo “pense” que ainda é dia e manter a temperatura do corpo elevada, assim afastando o sono. Já os óculos escuros reduzem mais rápido o efeito despertador da luminosidade sobre os olhos.

O método pareceu estranho para os nadadores no início, mas eles já sentem a diferença após os três dias de uso.

“Já está dando uma diferença bacana. No primeiro dia a gente achou estranho, mas está funcionando bem legal. No meu caso eu já estou conseguindo segurar a adrenalina até tarde e dormindo na hora certa”, afirmou Henrique.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir