Sem categoria

Esquenta disputa interna pela presidência do TJAM

Eleição só acontece em cinco meses, mas os nomes já estão postos e preferência é para os mais antigos da corte – foto: TJAM

Eleição só acontece em cinco meses, mas os nomes já estão postos e preferência é para os mais antigos da corte – foto: TJAM

A eleição para a presidência do Tribunal de Justiça do Amazonas (TJAM) está prevista para acontecer em abril, mas nos bastidores a movimentação em torno de pré-candidaturas e aspirantes ao cargo já intensifica e desembargadores já iniciaram suas articulações. Em meio à crise econômica que o Poder Judiciário afirma estar passando, o pleito deve trazer à tona as desavenças entre os membros da corte e a eleição para escolha dos sete novos desembargadores do tribunal.


De acordo com a Lei Orgânica da Magistratura Nacional, estão aptos a disputar a presidência do TJAM os três membros mais antigos da corte: a atual presidente do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-AM), desembargadora Socorro Guedes, Domingos Chalub e Yêdo Simões.

O TJAM está sob o comando da desembargadora Graça Figueiredo, que não pode disputar a reeleição. Ela foi empossada em junho de 2014 no lugar do então presidente, desembargador Ari Moutinho. Os dois têm uma desavença pública que se arrasta desde quando Graça sucedeu Ari Moutinho na presidência do TRE-AM.

Segundo magistrados e servidores da Justiça Eleitoral, Socorro Guedes já informou que colocará seu nome à disposição para a disputa interna. Ela deixará o comando da Justiça Eleitoral em maio de 2016, um mês após a eleição para o TJAM.

O desembargador Domingos Chalub disse ao EM TEMPO que é candidato à presidência dos dois tribunais (TJAM e TRE). “A princípio, sou candidato tanto de um quanto de outro. Quem disser que não tem vontade (de presidir um dos tribunais), não comungo com isso. O magistrado tem até uma obrigação política com a instituição de administrar o órgão. Mas entendo que ainda está muito cedo para falarmos nisso. Não estou pensando em eleição e ainda temos muito o que colaborar com a presidência do TJAM e a desembargadora Graça Figueiredo”, disse Chalub.

De acordo com servidores do TJAM, o desembargador Yêdo Simões, terceiro entre os três mais antigos no tribunal também tem interesse em participar da disputa.  A lista segue com o atual corregedor do tribunal, desembargador Flávio Pascarelli, que já manifestou interesse na disputa pela presidência do Judiciário. “Se algum deles abrir mão da disputa, serei candidato”, revelou Pascarelli.

Justiça Eleitoral

Socorro Guedes será a responsável por organizar o início das eleições, em 2016, mas deixará o cargo em maio para um dos membros do TJAM.

De acordo com a Lei Orgânica da Magistratura, disputam a presidência do TRE-AM todos os desembargadores da Justiça Estadual, com exceção dos que já presidiram o tribunal. Segundo a regra, estão de fora da disputa e, consequentemente, pelo comando das eleições, em 2016, os desembargadores Graça Figueiredo, Ari Moutinho, Flávio Pascarelli, Socorro Guedes e Djalma Martins da Costa.

Por Camila Carvalho

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir