Sem categoria

Escolas usam criatividade para fugir da crise

Primos-da-ilha

Primos da Ilha foi a primeira escola a desfilar na passarela do samba – fotos : Arthur Castro

Milhares de expectadores invadiram as arquibancadas do Sambódromo, neste sábado (6), durante desfile das escolas de samba do Grupo Especial de Manaus. Com verbas reduzidas pelo Governo do Estado e pela prefeitura, correndo contra o tempo, as escolas usaram da criatividade para fugir da crise que ameaçava tirar o brilho do Carnaval 2016.

O Prefeito Arthur Virgílio Neto disse que as escolas tiveram que se adequar para poderem participar do Carnaval deste ano. “As escolas que são sorteadas para entrarem no edital, levam uma certa desvantagem, no bom sentido. Estou vendo todas. Gosto de todas. Este é um Carnaval que nós (prefeitura) ajudamos, junto com o governo do Estado, em compensação as escolas fizeram a parte delas. Reduziram o número de carros, de brincantes, de fantasias, ou seja, fizeram uma adaptação à conjuntura da crise que aí está. Carnaval é uma festa tradicional e demos o nosso jeito de fazer  de modo possível”.

Primos da Ilha

A primeira escola do grupo especial a se apresentar na passarela do samba, às 20h, foi a  Primos da Ilha, do bairro São Francisco. Com o tema ‘Sou Berço da Vida, Fonte de Inspiração, Guerreira, Sou Ilha, Sou Mulher!’. A agremiação voltou  a fazer parte do grupo especial em 2015 e vai lutar para permanecer entre as escolas de primeiro porte.

A apresentação  contou com 12 alas, 200 ritmistas e mais de 3 mil brincantes. Dois carros alegóricos e um tripé.

A jovem keise Rosas, de  19 anos, representou desfilou pela primeira vez já com o posto de  rainha  de bateria da escola de samba, encenando Maria Quitéria. “Nunca desfilei em nenhuma escola de samba. Estou nervosa, mas confiante na Vitória”, destacou a jovem.

Sem compromisso

Sem-compromisso

Na sequência, a escola Sem Compromisso, da Zona Norte, entrou na avenida com dez minutos de atraso, tudo por causa de um problema técnico no carro alegórico. A escola desfilou apostando em um alimento abençoado, com o enredo “O pão nosso de cada dia, que o diabo amassou e Deus Consagrou”.

Uma média de 3 mil brincantes participaram do desfile, juntamente com 17 alas, 200 ritmistas e dois carros alegóricos fizeram a animação da escola.

Unidos do Alvorada

Escola da Samba Alvorada

A Unidos do Alvorada foi  a terceira escola a se apresentar, às 22h40. O enredo “Rei Arthur – O Legado de Uma Lenda”, é a grande aposta da agremiação para conquistar o seu primeiro título no grupo de especial de Manaus.

A azul e branco levou para a avenida 3 mil brincantes, dois carros alegóricos e um tripé, para contar a história do senador amazonense Arthur Virgílio Filho, mesclada á lenda do Rei Arthur, de Camelot, e outros Arthurs famosos, como o ginasta Arthur Zanetti,  o pianista Arthur Moreira Lima e o ídolo flamenguista, Arthur Antunes Coimbra,  popularmente conhecido como Zico.

Reino Unido

Reino-Unido

Já o Grêmio Recreativo Escola de Samba (GRES) Reino Unido da Liberdade, se apresentou com o tema ‘Na arte de se comunicar, vem meu Reino encantar’ para ganhar a disputa deste ano. A ideia é mostrar a evolução da comunicação ao longo dos anos, desde as pinturas rupestres até a chegada do Whatsapp. O desfile ocorreu por volta da meia-noite e contou com 33 alas e duas alegorias, dois carros alegóricos e um tripé.

De acordo com o diretor-geral de harmonia e autor do enredo 2016, Clemildo Pinto, a escola vai levando 4,5 mil brincantes, 129 baianas e 300 ritmistas.

A porta-bandeira Elaine Batista, 51, já desfila há 15 anos e espera tirar nota máxima. A fantasia do casal custou R$60 mil e, segundo a porta-bandeira, pesa 30 quilos. “Se chover, vai ter o dobro de quilos”, disse Batista.

Aparecida

Aparecida

A quinta escola a desfilar na passarela do samba,  à 1h20,  foi a Mocidade Independente de Aparecida, fundada em 15 de março de 1980  e detentora de 21 títulos no Carnaval de Manaus. Neste ano, a  escola conta a história da Portela, também detentora de 21 títulos, com o tema ‘A Soberana encontra a Majestade e, nesta passarela, eu nunca vi coisa mais bela’. O desfile contou com 27 alas, 80 baianas, 330 ritmistas, além de 3500 brincantes.

A coordenadora da ala das baianas, Carla Viegas, explicou que a maior preocupação é o bem estar das baianas. “ Eu me preocupo muito com elas porque a roupa tem muito peso e é preciso estar bem para poder brincar.

O diretor de Carnaval, Amilton Bandeira, filho do primeiro presidente da escola, César bandeira,  explicou que a maior dificuldade da escola foi a falta de recursos financeiros, mas isso não foi empecilho para fazer bonito no Carnaval

Grande Família

Em seguida, a Grande Família, da Zona Leste, readapta o enredo usado em 2006, ‘Paz no Trânsito e invade a passarela do samba às 2h40.

Vitória Régia

A Vitória Régia traz em sua apresentação, às 4h, a história dos personagens Peter Pan, Sininho, Wendy e companhia, com o tema‘A Terra do Nunca é Verde e Rosa’.

Andanças de Cigano

Para fechar com chave de ouro, a Andanças de Cigano   encerra o desfile das escolas  de Carnaval do Grupo Especial às 5h20, trazendo o tema ‘A perfeição das cores sob o olhar pitoresco do imaginário’.

Por equipe EM TEMPO Online

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir