Dia a dia

Equipe do Seripa embarca para investigar queda de helicóptero em Atalaia do Norte

Defesa Civil dos municípios de Atalaia do Norte e Benjamim Constant, além de uma equipe do Exército, estão atuando nas buscas. - foto: divulgação

Defesa Civil dos municípios de Atalaia do Norte e Benjamim Constant, além de uma equipe do Exército, estão atuando nas buscas. – foto: divulgação

Uma equipe de quatro pessoas do Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Seripa 7) embarca na deste sábado (30) para Tabatinga (a 1.105 quilômetros de Manaus), para apurar e auxiliar nas buscas ao helicóptero que caiu na noite de ontem em Atalaia do Norte (a 1.130 quilômetros da capital). Entre os desaparecidos, estão dois funcionários da Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai) e três pacientes.

Segundo o coronel do Seripa 7, Alexandre Ricardo do Carmo, que atuará como investigador operacional na ação, ainda não há muitas informações sobre as circunstâncias do sinistro e até o momento, apenas o nome do piloto Alexandre Félix de Souza está confirmado entre os desparecidos.

“Ainda não foi confirmado, mas parece que duas grávidas estavam entre os passageiros da aeronave. Nós vamos descer em Tabatinga e depois seguiremos para a estrada”, informou Carmo, acrescentando que dois investigadores de fatores materiais e uma psicóloga também compõem a equipe.

De acordo com o coronel, a helicóptero sumiu no fim da tarde desta sexta-feira (29) nas proximidades de uma comunidade indígena em Atalaia do Norte. “Pode ter caído perto da aldeia Pentiaquinho no fim da tarde, mas só foi por volta das 20h30 que o Seripa foi informado do desaparecimento do bimotor ”, disse Carmo.

Conforme informações, a Defesa Civil das cidades de Atalaia do Norte e Benjamim Constant, além de uma equipe do Exercito já está fazendo buscas na área em que supostamente a aeronave pode ter despencado, no quilômetro 17 da BR-307. Moradores da rodovia relataram ter ouvido barulho de explosão no meio da floresta por volta das 18h de ontem.

Por Cecília Siqueira (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir