Economia

Entre janeiro e setembro, faturamento do PIM caiu 8% na comparação com igual período de 2014

Polo de duas rodas contribuiu com 17,67% do faturamento total do parque industrial de Manaus – foto: Ione Moreno

Polo de duas rodas contribuiu com 17,67% do faturamento total do parque industrial de Manaus – foto: Ione Moreno

Entre janeiro e setembro deste ano, o Polo Industrial de Manaus (PIM) registrou faturamento acumulado de R$ 57,8 bilhões, o segundo melhor resultado histórico. Na comparação com o mesmo período do ano passado, quando foram faturados R$ 62,8 bilhões (atual recorde), a soma representa decréscimo de 8,03%.


Em dólar, os US$ 18,4 bilhões alcançados nos nove primeiros meses deste ano, comparados ao volume acumulado no mesmo intervalo do ano passado (US$ 27.4 bilhões), significam queda de 32,85%. Entretanto, ocorreu uma valorização de 67,46% da moeda norte-americana em relação ao real, na comparação de setembro deste ano (R$ 3,90) com o mesmo mês de 2014 (R$ 2,33).

As exportações do PIM totalizaram R$ 1,47 bilhão entre janeiro e agosto, o que representa aumento de 15,28% ante o mesmo período do ano passado.

De acordo com os dados remetidos pelas empresas do PIM, o mês de setembro registrou a ocupação de 99.947 postos de trabalho, entre mão de obra efetiva, temporária e terceirizada. Em 2015, até setembro, ocorreram 44.450 demissões e 28.822 admissões. A média mensal dos nove primeiros meses deste ano ficou estabelecida em 108.411 empregos.

A superintendente Rebecca Garcia avaliou que os resultados dos indicadores de desempenho do PIM refletem a atual conjuntura econômica do país e ressalta a necessidade de medidas para diminuir a dependência do mercado interno. “Precisamos avançar em questões como a competitividade dos produtos e a ampliação das exportações”, frisou.

Segmentos
Com R$ 17,2 bilhões (US$ 5,5 bilhões), o segmento eletroeletrônico continua sendo o maior responsável pelo resultado global do PIM, respondendo por 29,80% do total. Em seguida, estão o de duas rodas, com 17,67% de participação, e o de bens de informática do polo eletroeletrônico, com 15,80%.

Os setores que apresentaram crescimento, em reais, na comparação entre janeiro e setembro de 2015 com o mesmo intervalo do ano passado foram: naval (104,39%), duas rodas (1,37%), relojoeiro (4,93%), químico (4,06%), mecânico (1,06%), vestuários e calçados (30,71%), têxtil (16,45%), beneficiamento de borracha (22,47%), ótico (14,96%), brinquedos (8,52%), madeireiro (7,21%), e produtos alimentícios (6,73%), entre outros.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir