Sem categoria

Encontrados destroços de helicóptero que caiu em Atalaia, após quatro dias de buscas

A Força Aérea Brasileira (FAB) confirmou na manhã desta quarta-feira (3) que as equipes de buscas encontraram os destroços do helicóptero modelo esquilo AS 355N, que desapareceu no fim da tarde da última sexta-feira (29), entre os municípios de Atalaia do Norte e Tabatinga, no interior do Amazonas, com cinco pessoas a bordo.

Segundo comunicado no site da FAB, os destroços da aeronave de matrícula PR-ADA foram avistados no fim do dia de ontem (2), próximo ao horário do pôr-do-sol, a cerca de 40 quilômetros a sudoeste de Tabatinga, nas cabeceiras dos igarapés São João e Curupira. Não há indícios de sobreviventes.

Em função das condições meteorológicas do momento e das características da região, não foi possível confirmar se era de fato a aeronave procurada. Mas na manhã de hoje um helicóptero H-60 Black Hawk da FAB desembarcou equipes de resgate no local e elas puderam confirmar que se tratava realmente dos destroços buscados.

Este seria os quinto dia de buscas. Durante os trabalhos, a FAB voou 60 horas cobrindo uma área de 4.315 km², engajou diretamente na missão 30 militares, um helicóptero H-60 Black Hawk e uma aeronave C-130 Hércules.

Além dos profissionais da FAB, equipes da Defesa Civil do Estado, dos municípios envolvidos, Polícia Militar, Exército e Corpo de Bombeiros do Amazonas também trabalhavam nas buscas. Agora as equipes vão se concentrar em conseguir chegar ao local onde estão os destroços, que, devido à mata fechado, é de difícil acesso.

Uma equipe do Sétimo Serviço Regional de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (SERIPA VII) foi deslocada para o local para iniciar as investigações dos fatores que causaram o acidente.

Entenda o caso

O helicóptero decolou de Atalaia do Norte (1.138 quilômetros de Manaus) na tarde da última sexta-feira com destino à comunidade Indígena Pintiaquinho, e de lá seguiria para Tabatinga (a 1.106 quilômetros da capital).

Além do piloto, Alexandre Félix de Souza, a bordo estavam as indígenas Marceleia Cruz dos Santos Marubo e Luciana Guedes do Carmo (grávidas), a acompanhante Marcelânia Souza da Silva e a enfermeira Luzia Fernandes Pereira. O helicóptero prestava serviços à Secretaria Especial de Saúde Indígena (Sesai), do Ministério da Saúde.

O desaparecimento foi comunicado pelo operador do helicóptero, a empresa Moreto Taxi Aéreo, às 23h da noite do desaparecimento. De acordo com o operador, o último registro de localização por satélite foi às 18h, hora local, a cerca de 45 quilômetros de Tabatinga.

As buscas foram iniciadas ainda na noite do desaparecimento com a ajuda de mateiros e populares, mas só no dia seguinte as equipes oficiais entraram em ação. De lá para cá recebeu reforços da Defesa Civil, Polícia Militar e Corpo de Bombeiros. Ainda ontem, o trabalho foi reforçado com o envio de cães farejadores.

Por equipe EM TEMPO Online

Com informações da FAB

 

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir