Sem categoria

Encontrado na AM-070 corpo de líder comunitária sequestrada ontem em Iranduba

A mulher foi sequestrada na noite de ontem e o corpo encontrado na manhã desta quinta - foto: Janailton Falcão

A mulher foi sequestrada na noite de ontem e o corpo encontrado na manhã desta quinta – foto: Janailton Falcão

O corpo da líder comunitária Maria das Dores dos Santos Salvador, 52, conhecida como ‘Dora’, foi encontrado na madrugada desta quinta-feira (13), na comunidade Santa Lucia, localizada no quilometro 40, da AM-070, no município de Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus).

A mulher foi sequestrada na noite de ontem (12), por volta das 19h, de dentro da própria casa, localizada na comunidade Portelinha, também em Iranduba.

O companheiro da vítima, o professor Gerson Priante, informou à polícia que cinco homens armados entraram na casa dele, agrediram fisicamente a sua companheira e fugiram levando a mulher.

Segundo a polícia, o principal suspeito de ter cometido o crime é Adson Dias da Silva, vulgo ‘Pinguelão’, com quem a vítima tinha uma briga pessoal referente a lotes de terra.

Há dois anos, a vítima e o suposto autor brigavam pela liderança da comunidade. Ambos se apresentavam como presidentes do local, por esse motivo as brigas e ameaças eram constates.

O companheiro da vítima disse que ‘Pinguelão’ seria traficante e que responde a 10 processos por estelionato. Há um mês, o irmão e o pai dele foram presos pela Polícia Federal com várias armas.

O deputado José Ricardo (PT) informou na manhã desta quinta que a vítima esteve no ultimo dia 24 de junho na Assembleia Legislativa do Amazonas (Aleam) denunciando sofrer ameaças de morte por parte de Adson.

“Lamentamos a morte dela, uma mulher que lutava pelos direitos da comunidade. Estou reforçando o pedido ao secretario de segurança publica para identificar e punir o suspeito do crime”, disse o deputado.

O delgado titular do 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Paulo Mavignier, confirmou que a morte tem ligação pela disputa de terras na comunidade Portelinha. A vítima foi torturada e morta com 12 tiros de PT 40.

O Instituto Médico Legal (IML) foi acionado para fazer a remoção do corpo.

Por Mara Magalhães

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir