Sem categoria

Encontrado mais um túnel no Compaj durante revista preventiva, informa Seap

Com a descoberta dos dois tuneis, mais de 500 presos tiveram a fuga prevista para este fim de semana frustrada. - foto: divulgação/Seap

Com a descoberta dos dois tuneis, mais de 500 presos tiveram a fuga prevista para este fim de semana frustrada – fotos: divulgação/Seap

Dando continuidade ao trabalho preventivo no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), foi encontrado um novo túnel no início da noite dessa quinta-feira (28), em baixo de uma das camas da cela 3, do pavilhão do regime fechado.

No final da manhã de ontem, os policiais do Comando de Policiamento Especializado (CPE) encontraram o primeiro túnel, com aproximadamente 2 metros de altura e 20 de extensão, na cela 8, da ala 1 do pavilhão 3.

Devido a isso, os agentes da Umanizzare Gestão Prisional, policiais militares do Batalhão de Choque e agentes da Coordenação do Sistema Penitenciário (Cosipe), continuaram o trabalho que se estendeu até a noite e encontraram o segundo buraco.

O titular da Secretaria de Estado de Administração Penitenciária (Seap), Pedro Florêncio, informou que com a descoberta dos dois tuneis, mais de 500 presos tiveram a fuga prevista para este fim de semana frustrada.

tunel-2-divulg

A ação foi coordenada pelo secretário adjunto, major Klinger Paiva, e o coordenador do sistema penitenciário, major Lima Júnior.

Nesta sexta-feira (29), equipes da Seap ainda trabalham no local para encontrar o caminho que estava sendo feito e verificar qual o comprimento e extensão do túnel, segundo destacou Klinger Paiva. “Para começar a fechar, precisamos que uma equipe cave pelo lado de fora”, disse.

Segundo Lima Júnior, existe a suspeita de que o túnel poderia chegar até a mata que se encontra atrás do complexo. “A mata seria o local mais próximo e mais estratégico pra essa saída”, destacou. Ontem mesmo a Seap providenciou o fechamento do primeiro túnel encontrado.

O titular da pasta Pedro Florencio, explicou que as descobertas só foram realizadas por conta de informações do Departamento de Inteligência Penitenciária (Dipen).

“Nós temos esse setor justamente para estarmos antecipados às ações dos detentos e conseguirmos resultados positivos como os de hoje”, lembrou Florencio.

De acordo com o secretário, pela forma como foram encontrados, os túneis não foram construídos recentemente.  “Antes da nossa administração, qualquer tipo de material de construção entrava na unidade. Nós proibimos isso há 3 meses, quando chegamos e, por isso, não existe a possibilidade dessa construção ter sido feita recentemente”, lembrou Florencio, reforçando que as fiscalizações vão ser intensificadas para garantir a ordem e a disciplina dentro das unidades prisionais.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir