Dia a dia

Encerradas buscas pelo corpo de britânica morta por criminosos no rio Solimões

A britânica praticava canoagem e foi vítima de latrocínio – Reprodução/Arquivo pessoal

Após oito dias de buscas, o Corpo de Bombeiros Militar do Amazonas (CBMAM) encerrou na sexta-feira (22), as ações para encontrar o corpo da canoísta britânica Emma Kelty, de 43 anos que foi vítima de latrocínio nas águas do rio Solimões no Amazonas.  A Marinha também suspendeu a operação na última quarta-feira (20).  Três mergulhadores da corporação atuavam na área, onde corpo teria sido jogado pelos suspeitos.

Emma foi morta por assaltantes conhecidos como “barrigas d’água” que atuam nos rios do Amazonas e teve o corpo jogado no Solimões próximo à Coari. Ela praticava canoagem sozinha quando foi roubada e levou dois tiros de espingarda. A morte foi confirmada pela Polícia Civil na última terça-feira (19), mas o corpo ainda não foi encontrado. Sete suspeitos do crime foram identificados. Três foram presos e um menor foi apreendido. Eles foram apresentados na manhã deste sábado (23).

O local onde Emma foi vista pela última vez fica a cerca de 400 quilômetros de Manaus e é o mesmo onde o delegado de polícia Thiago Garcez desapareceu em 5 de dezembro do ano passado. Ele teria caído no Rio Solimões durante confronto com traficantes de drogas que atuam na região. O corpo do delegado nunca foi localizado.

Leia também:Quatro envolvidos na morte de britânica são apresentados em Manaus

Marinha encerrou antes

A Marinha informou que suspendeu a Operação de Busca e Salvamento na quarta-feira(20), mas continuou no local apoiando os mergulhadores dos Bombeiros e prestando apoio logístico à Polícia Civil.

Trecho da nota da Marinha 

Na tarde dessa sexta-feira (22), após encerrados os trabalhos por esses órgãos, a Marinha encerrou sua missão no local e o Navio Patrulha Fluvial Raposo Tavares iniciou seu regresso para Manaus, cumprindo operação de Patrulha Naval.

Suspeitos apresentados

Arthur Gomes da Silva, conhecido como “Bera”, Erinei Ferreira da Silva, de 28 anos, chamado de “Alfinete”, Jardel Pinheiro Gomes, de 19 anos, o “Kael” e um adolescente de 17 anos que foi apreendido, são os quatro suspeitos de envolvimento na morte da canoísta britânica Emma Kelty e foram apresentados na manhã deste sábado (23),  na Delegacia Geral, localizada na avenida Pedro Teixeira, no bairro de mesmo nome, Zona Centro-Oeste de Manaus. A esportista foi vítima de latrocínio na última quarta-feira (13).

Entenda o caso

No último dia 13 de setembro, por volta das 22h, uma empresa ligou para o Comando do 9° Distrito Naval (Com9ºDN) informando que o localizador de emergência da britânica Emma Kelty, que estaria realizando canoagem esportiva no Rio Solimões, havia sido acionado. A Marinha do Brasil iniciou as buscas para tentar localizar a britânica. Já na tarde de sexta-feira, dia 15, alguns objetos de Emma Kelty, como roupas, sapatos e o caiaque foram encontrados na Comunidade Lauro Sodré, na região de Codajás-Coari, às margens do rio Solimões. Após investigações, a Polícia concluiu que a mulher inglesa, que era educadora na cidade de Londres, teria sido morto por barrigas barriga d’água (criminosos que assaltam embarcações) que vivem na região.

Bruna Chagas
EM TEMPO

Leia mais:

Marinha entrega caiaque de britânica morta no AM para perícia da Polícia Civil

Para fugir da prisão, suspeito que matou britânica tentou se passar por adolescente

Juiz de Coari decreta prisão de envolvidos em homicídio de turista britânica

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir