Sem categoria

Sindicato dos Rodoviários cancela greve, após liminar que prevê multa de R$ 50 mil

Sindicato enviou ofício ao sinetram informando possível paralisação na segunda-feira (7) - Foto: Divulgação

Greve seria deflagrada à meia-noite desta segunda-feira, pelo Sindicato dos Rodoviários – Foto: Divulgação

Após a liminar concedida pela desembargadora Rita Albuquerque, do Tribunal Regional do Trabalho da 11ª Região, determinando multa de R$ 50 mil ao Sindicato dos Trabalhadores em Transporte Rodoviários de Manaus (STTRM), caso a categoria paralisasse o sistema de transporte coletivo nesta segunda-feira (7), o presidente da entidade, Givancir Oliveira, confirmou neste domingo (6), à tarde que a greve foi suspensa.

“Não vai mais ter greve.  Nos reunimos ontem à noite e decidimos suspender a paralisação. Na verdade os empresários estão nos usando para pressionar o prefeito (Arthur Neto), a reajustar a tarifa de ônibus. se eles querem o reajuste, que negociem com o prefeito. Os rodoviários ainda não receberam os seus salários, mas vamos aguardar para esta segunda-feira”, declarou Givancir.

O não pagamento da categoria nas datas específicas e o não cumprimento de alguns benefícios trabalhistas, foram os motivos alegados pelo Sindicato dos Rodoviários, para paralisar as atividades do sistema de transporte coletivo, a partir da meia-noite, desta segunda-feira.

Diante da ameaça, o Sindicato das Empresas de Transporte de Passageiros do Estado do Amazonas (Sinetram), recorreu  à Justiça e concedeu no último sábado (5), uma liminar determinando que ao menos 70% da frota de coletivos que opera em Manaus, circulasse amanhã, além da multa diária de R$ 50 mil, ao Sindicato dos Rodoviários.

A decisão judicial também proíbe atos em frente às garagens e “cerceamento do livre acesso” dos empregados ou usuários aos imóveis das empresas.O anúncio da greve foi definido na sexta-feira (4), pelo STTRM, que na ocasião afirmou que a paralisação seria por tempo indeterminado.

Exigências

De acordo com um ofício divulgado pelos Sindicato dos Rodoviários, na última sexta-feira, o sindicato exigia que as empresas liberassem o ordenado da categoria, até o quinto dia útil do mês e pagassem as horas extras devidas aos trabalhadores do sistema. Segundo a entidade, os  atrasos dos pagamentos têm sido constantes e prejudiciais aos trabalhadores. O STTRM afirmou que a decisão pela greve foi tomada por assembleia geral extraordinária, realizada em sua sede na noite da última quinta-feira (3), mas se declarou aberta a negociações.

Conforme o assessor jurídico do Sinetram, Fernando Borges, todos foram pegos de surpresa pela notificação da greve anunciada na sexta-feira. “Não havia reivindicação alguma, não havia atrasos no pagamento, não havia nada de errado. Pode haver uma motivação política por trás desse ato, pois ele surgiu do nada para nós, depois do episódio com o Lula”, declarou Fernando,na última sexta-feira, quando o anúncio da greve foi feito pelos rodoviários

 

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir