Dia a dia

Empresários, secretários, prefeito e outros políticos de Iranduba são alvo de operação do MPE-AM e CGU por desvio de verbas

Iranduba-divulg

A movimentação é grande na prefeitura de Iranduba – foto: divulgação

Uma operação do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), denominada Cauxi, cumpre na manhã desta terça-feira (10), em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), mais de 30 mandados de prisão, busca e apreensão e condução coercitiva contra empresários e políticos do município.

O trabalho está sendo desenvolvido pelo Grupo de Atuação de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU) e Secretaria de Segurança Pública, por meio da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência.

Entre os alvos estão o prefeito Xinaik Silva de Medeiros (PTB) – que está foragido – alguns de seus secretários, empresários e vereadores. Entre as acusações que pesam conta eles estão peculato, corrupção passiva, concussão, falsidade ideológica, fraude em licitação, lavagem de dinheiro e crime de responsabilidade.

Segundo o procurador-chefe do MPE-AM, Fábio Monteiro, as investigações se iniciaram há cerca de três meses e apuram o desvio de mais de R$ 56 milhões em verbas públicas, por meio de contratos de obras, serviços e aquisições de materiais.

“Em cruzamentos de dados junto com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e da União (TCU), nosso grupo de combate ao crime organizado, identificou diversas irregularidades. Incluindo o fato de que empresários que ganhavam licitações eram obrigados a pagar propinas aos dirigentes do município e outras situações em que o prefeito, em parceria com empresários, recebia um montante de verba irregular”.

Os mandados foram expedidos pela desembargadora Carla Reis e estão sendo cumpridos desde as primeiras horas do dia, tanto na sede da prefeitura – que foi cercada -, quanto em outros órgãos e residências dos envolvidos.

Segundo informações preliminares, já estão presos da irmã do prefeito, Nádia Medeiros, o secretário de economia e finanças, David Queiroz, e o chefe da comissão geral de licitação de Iranduba, Edu Correa Souza.

Outro alvo de prisão que também está foragido é o secretário de infraestrutura do município, André Maciel Lima.

Todos os presos e equipamentos apreendidos serão trazidos para a sede do MPE-AM, em Manaus. “Aqui faremos a coleta de todos os depoimentos. Quem foi preso será recolhido e quem veio apenas por coerção será ouvido e liberado. Os materiais apreendidos serão posteriormente periciados e a partir daí vamos processar quem tivermos que processar”, adiantou Fábio Monteiro.

Texto atualizado às 9h20 para inserção de novas informações.

Por Yndira Assayag

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir