Dia a dia

Empresários, secretários, prefeito e outros políticos de Iranduba são alvo de operação do MPE-AM e CGU por desvio de verbas

Iranduba-divulg

A movimentação é grande na prefeitura de Iranduba – foto: divulgação

Uma operação do Ministério Público do Estado do Amazonas (MPE-AM), denominada Cauxi, cumpre na manhã desta terça-feira (10), em Iranduba (a 27 quilômetros de Manaus), mais de 30 mandados de prisão, busca e apreensão e condução coercitiva contra empresários e políticos do município.

O trabalho está sendo desenvolvido pelo Grupo de Atuação de Combate às Organizações Criminosas (Gaeco), em parceria com a Controladoria Geral da União (CGU) e Secretaria de Segurança Pública, por meio da Secretaria Executiva Adjunta de Inteligência.

Entre os alvos estão o prefeito Xinaik Silva de Medeiros (PTB) – que está foragido – alguns de seus secretários, empresários e vereadores. Entre as acusações que pesam conta eles estão peculato, corrupção passiva, concussão, falsidade ideológica, fraude em licitação, lavagem de dinheiro e crime de responsabilidade.

Segundo o procurador-chefe do MPE-AM, Fábio Monteiro, as investigações se iniciaram há cerca de três meses e apuram o desvio de mais de R$ 56 milhões em verbas públicas, por meio de contratos de obras, serviços e aquisições de materiais.

“Em cruzamentos de dados junto com o Tribunal de Contas do Estado (TCE) e da União (TCU), nosso grupo de combate ao crime organizado, identificou diversas irregularidades. Incluindo o fato de que empresários que ganhavam licitações eram obrigados a pagar propinas aos dirigentes do município e outras situações em que o prefeito, em parceria com empresários, recebia um montante de verba irregular”.

Os mandados foram expedidos pela desembargadora Carla Reis e estão sendo cumpridos desde as primeiras horas do dia, tanto na sede da prefeitura – que foi cercada -, quanto em outros órgãos e residências dos envolvidos.

Segundo informações preliminares, já estão presos da irmã do prefeito, Nádia Medeiros, o secretário de economia e finanças, David Queiroz, e o chefe da comissão geral de licitação de Iranduba, Edu Correa Souza.

Outro alvo de prisão que também está foragido é o secretário de infraestrutura do município, André Maciel Lima.

Todos os presos e equipamentos apreendidos serão trazidos para a sede do MPE-AM, em Manaus. “Aqui faremos a coleta de todos os depoimentos. Quem foi preso será recolhido e quem veio apenas por coerção será ouvido e liberado. Os materiais apreendidos serão posteriormente periciados e a partir daí vamos processar quem tivermos que processar”, adiantou Fábio Monteiro.

Texto atualizado às 9h20 para inserção de novas informações.

Por Yndira Assayag

 

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir