Economia

Empresário aposta na criatividade para atrair turistas em Manaus

ECO_B1_CHAMADA_MÁRCIO-MELO

Com saída às 19h da marina Águas Claras, o “Passeio das Luzes”, tem a duração média de cinco horas, segundo o empresário e turismólogo Spartacus Tuma – fotos: Márcio Melo

Uma aposta incomum no turismo manauense promete inovar com um ar noturno agradável e luzes de nostalgia. Com a chegada do verão amazonense, um empresário da área náutica começou a oferecer o serviço de passeio, em barco de luxo, sobre o rio Negro, na orla de Manaus. Ele busca primeiro fortalecer o serviço com o mercado local, para, depois, expandir em número de embarcações e venda do serviço para os turistas nacionais e estrangeiros.

Com saída às 19h da marina Águas Claras, no Tarumã, Zona Oeste, a excursão pela noite, que teve o seu roteiro batizado como “Passeio das Luzes”, tem a duração média de cinco horas, segundo o empresário e turismólogo Spartacus Tuma. Depois de navegar pelo lago do Tarumã, começa a contemplação das luzes oriundas da praia da Ponta Negra, em direção à ponte sobre o rio Negro. A lancha atravessa o largo do São Raimundo, até chegar ao Porto de Manaus.

De acordo com Spartacus, o barco Atlantis, de 46 pés, conta com dois camarotes, sala e cozinha climatizadas, proa e flybridge (deck superior da lancha onde se pilota) com poltronas e sofás, e está avaliado em R$ 1,5 milhão. Nele, os passeios estão limitados a até dez pessoas e o preço para dias de fim de semana e feriados é R$ 2,5 mil. De segunda a sexta-feira, sai pelo valor promocional de R$ 1,7, até o fim do verão, em novembro.

Para o empresário, o roteiro é ideal para encontro de amigos e familiares. Na lancha, ele mantém uma carta de vinhos, com taças e petisqueira, para que as pessoas possam saborear a noite, mas o grupo pode levar a própria bebida. Na semana passada, ele contou que um grupo aproveitou o passeio para comemorar o aniversário de um amigo. “A noite, no verão, o rio fica espelhado. A maioria das pessoas que mora em Manaus nunca teve o prazer de navegar pela orla decidade”, comentou.

Spartacus que tinha uma indústria de equipamentos agrícolas até 2011, a deixou para investir no negócio no segmento náutico e, em 2012, fundou a Amazonáqua. Mas, como turismólogo, algo lhe faltava. “Tive a ideia ano passado, mas esperei o verão deste ano para começar de verdade. Não conheço ninguém que faça esse tipo de turismo. E pensei na noite porque fica mais aprazível, um belo passeio de contemplação. Fiz uma reforma grande na lancha e, em agosto do ano passado, fiz alguns passeios testes”, contou.

Futuro

O empresário disse que quer primeiro consolidar a atividade no mercado regional, para, no ano que vem, buscar o nacional e futuramente o internacional. “Quando for bom para as pessoas que moram aqui (em Manaus), tanto de preço quanto de qualidade de serviço, vou buscar as de fora”, afirmou o turismólogo. “Trabalho nessa área há vários anos e sou apaixonado pela natureza. Nosso Estado precisa de mais iniciativas como esta para tornarmos forte o nosso turismo, gerando empregos e promovendo as belezas naturais do Amazonas”,finalizou o empresário.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir