Dia a dia

Empresa privada tenta tirar contêiner de escola da PM

Falta de pagamento e não renovação de contrato fez com que a empresa Entec Longhi & Cia, buscasse os 26 conteineres. Outros já foram retirados da ponte Rio Negro - foto: Márcio Melo

Falta de pagamento e não renovação de contrato fez com que a empresa Entec Longhi e Cia, buscasse os 26 conteineres. Outros já foram retirados da ponte Rio Negro – foto: Márcio Melo

Há 10 meses sem receber o pagamento e sem contrato renovado com a Secretaria de Segurança Pública (SSP-AM), a empresa Entec Longhi & Cia, tentou retirar na manhã desta segunda-feira (16), 29 contêineres que estão dentro do Colégio da Polícia Militar, situado na avenida Max Teixeira, Cidade Nova, Zona Norte. Os contêineres servem de salas de aula para alunos da creche de tempo integral e também para os alunos do ensino médio.

De acordo com o gerente comercial da empresa, Samuel Rodrigues, os primeiros contêineres da empresa a serem retirados de funcionamento, por falta de pagamento, foram os da ponte Rio Negro, há pouco mais de duas semanas. Depois foram recolhidos os que funcionavam como sala para guardar equipamentos da empresa de Processamento de Dados do Amazonas (Prodam).

“Na verdade, nós estamos nessa situação há praticamente uma semana para retirar esses contêineres. Nós começamos retirando três lá da ponte Rio Negro. Tivemos dificuldades para retirar um que servia como unidade de TI (Tecnologia da Informação) da Prodam, em Iranduba, e agora estamos na creche da Polícia Militar, onde fomos proibidos de entrar”, disse.

Conforme Samuel, o comandante da escola, que não teve o nome divulgado, não autorizou a retirada dos contêineres. “Eles alegam que não temos mandado judicial, então não podemos tirar. Esse posicionamento deles é um absurdo porque a Secretaria de Segurança Pública não renovou nosso contrato desde julho de 2015. Eles não podem nos impedir de retirar um bem nosso, uma vez que estamos sem contrato”, observou.

Rodrigues disse ainda, que o problema da falta de pagamento por parte do governo do Estado ocorre com várias empresas. Ele afirmou, que devido a esse problema, a Entec Longhi & Cia está com dificuldades para fechar a folha do pagamento dos funcionários. “Nós estamos com um mês de atraso na folha, por conta desse problema. Precisamos de uma solução, se não resolverem isso vamos entrar com uma ação na Justiça”, afirmou.

A Polícia Militar por meio de sua assessoria de comunicação, informou que o caso chegou à corporação, e que as providências cabíveis para solucionar o impasse já foram adotadas.

 

Por Michelle Freitas

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir