Economia

Empreender é uma boa saída para fugir da crise e se reinventar

Segundo o Sebrae, no Amazonas há mais de 61 mil empresas cadastradas como microempreendedoras individuais – fotos: Divulgação

Em momento de crise, poucos tomam a iniciativa de empreender, mas essa pode ser uma excelente oportunidade para quem pretende ser o dono do próprio negócio. Especialistas apontam que, nesse período, por conta da menor concorrência, a maioria dos empresários coloca o pé no freio e o novo empreendedor tem a oportunidade de testar o modelo de negócio.

Os novos empreendedores podem se cadastrar como Microempreendedores Individuais (MEI) e o Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas (Sebrae) disponibiliza uma equipe técnica de assessoria para a criação da empresa e organização do negócio. O primeiro passo, para aqueles que têm o projeto e ainda não possuem o Cadastro Nacional da Pessoa Jurídica (CNPJ), é buscar por informação.

A entidade registrou, no ano passado, 400 empresas com atividades disponibilizadas por meio do MEI. No Amazonas há 61.730 empresas no formato em atividade. Somente de dezembro de 2016 até março deste ano, o Sebrae e Portal do Empreendedor registraram, no total, 1.890 novos cadastramentos de microempreendedores individuais.

O portal do Sebrae e do Empreendedor oferecem informações básicas sobre quais os critérios exigidos para que o empreendedor se enquadre como microempreendedor individual. A gerente da unidade de atendimento individual, Maria Helena Souza Garcia, relatou que o interessado deve, primeiramente, verificar quais as atividades são permitidas para o MEI e se o negócio se enquadra nas ocupações autorizadas.

“Muitos chegam aqui somente com o interesse de abrir um negócio, em uma determinada área de interesse, e depois de receber a orientação, ele passa a ter certeza em qual área realmente deseja atuar e se ela está enquadrada nos requisitos do MEI”, disse.

Após essa consulta, o interessado deve procurar a Junta Comercial do Estado e examinar qual a viabilidade da atividade no endereço pretendido. A medida é indicada, inclusive, para o comércio ambulante.

O portal do Sebrae e do Empreendedor oferecem informações básicas sobre quais os critérios exigidos para que o empreendedor se enquadre como microempreendedor individual

Setores promissores e rentáveis

Os setores mais promissores em 2017 para quem deseja empreender são os ramos da alimentação, consertos e vestuários, de acordo com pesquisa realizada pelo Sebrae. No Amazonas, se destacam ainda os setores de beleza, construção civil, comércio varejista de mercadorias em gerais, lanchonete, perfumaria e cosméticos. A projeção é com base no perfil das novas empresas criadas e no comportamento da economia local.

Ainda que em crise, a população continua crescendo e as pessoas não deixam de consumir produtos básicos, como alimentos, roupas e itens de higiene. O órgão avaliou os dados de natalidade das empresas em 2016, de acordo com os setores com maior demanda. Os empreendimentos que atendem às necessidades básicas são os que mais tiveram resultados positivos.

“Existe o empreendedorismo por oportunidade. Então, muitos procuram a gente porque ficaram desempregados e sem oportunidade de voltar ao mercado de trabalho. Com a dificuldade, eles encontram novas saídas e uma delas é o empreendedorismo. Muitos têm procurado o Sebrae para pedir a orientação. De primeiro, a maioria não vem para se formalizar, mas sim tirar dúvidas sobre a possibilidade abrir o próprio negócio. Para ver também se ele tem o perfil das atividades exigidas pelo MEI”, relatou Maria Helena.

Outros ramos procurados são os direcionados para a saúde e o turismo da população idosa. Negócios que oferecem produtos ou serviços para promoção da qualidade de vida e do atendimento personalizado são os que estão ganhando força no cenário da terceira idade.

Para serviços de mão de obra qualificada, por exemplo, encontra dificuldade na hora de contratar o serviço de cuidadores ou acompanhantes de idosos. Empresas de serviço e que possuem no quadro funcional pessoas com cursos de atendimento ao público, como técnicos em enfermagem, alcançam bons resultados.

Empreender pede muito foco e determinação

A capacitação profissional é o primeiro passo. Ter pessoas bem treinadas viabiliza o negócio, já que idosos precisam de atendimento especializado. Entre os serviços com mais rentabilidade estão as agências de viagens; spas; clínicas de repousos; academias de ginásticas; espaços para fisioterapia e reeducação alimentar.

Segundo Nelson Lima de Araújo, proprietário de uma agência de viagens, localizada no bairro Parque 10, Zona Centro-Sul, o principal objetivo para o empreendedor é criar confiabilidade entre a agência e o cliente para o sucesso do empreendimento.

“Já para o público da terceira idade é importante verificar pacotes atrativos com descontos especiais, não só da passagem aérea e da hospedagem, mas também para restaurantes e passeios turísticos em estabelecimentos conveniados. Esse diferencial chamativo atrai mais e fideliza o cliente, que ainda traz mais consumidores da sua faixa etária, tendo em vista, que o idoso prefere viajar em grupo”, relatou.

Click to comment

Leave a Reply

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

To Top