Política

Emoção e criatividade dominam horário gratuito

O EM TEMPO acompanhou a estreia do programa eleitoral na feira Modelo, no bairro Compensa, Zona Oeste | Michael Dantas

Os dez minutos da propaganda eleitoral no horário gratuito, que iniciou ontem em rádio e televisão, foram marcados pela emoção e criatividade dos nove candidatos que disputam o pleito suplementar, principalmente na otimização dos respectivos tempos.

Abrindo o programa, Amazonino Mendes (PDT) focou no discurso do amor para apresentar suas propostas para o Estado e questões sociais foram a tônica da apresentação.

“Quem ama cuida, quem ama não abandona, não se entrega, não desiste. Nosso maior problema é a falta de amor nos últimos anos, com a falta de amor, não se pensa nas mães aflitas, nos pais desempregados, nos alunos, nas crianças e nos idosos, na nossa gente. Sem amor, não tem escolas, não tem hospitais, não tem segurança, não tem nada”.

Por fim, o candidato apresentou fatos marcantes conquistados ao longo de sua trajetória na política, iniciada em março de 1987, e finalizou a programação com a promessa de reconstruir o Amazonas ao longo de 12 meses.

Na sequência, Eduardo Braga (PMDB) utilizou o tempo de dois minutos e 47 segundos para apresentar a parceria com seu vice, Marcelo Ramos (PR), mostrando que ambos têm pensamentos diferentes e que isso será fundamental na luta contra a crise econômica, violência, desemprego e o caos na saúde.

“Eu e o Marcelo não somos iguais, nós somos diferentes, mas estamos unidos”, disse Braga, seguido de Ramos, que afirmou que poderia ser um candidato apenas para marcar posição, “mas quem muda posição não muda a vida de ninguém”.

Com apenas seis segundos de tempo, o cabeleireiro Jardel Nogueira (PPL) usou da criatividade no primeiro programa eleitoral, usando o bordão “Amazonas, a hora é agora. O poder está em suas mãos”. Ele também inovou ao deixar sob a sua responsabilidade a apresentação em linguagem de libras.

Mesmo com a candidatura indeferida na manhã de ontem pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE), Liliane Araújo (PPS) teve o programa eleitoral exibido com o tempo de 15 segundos. Ela mostrou ser uma candidata da política jovem e que fará um governo diferente caso eleita. “Há mais de três décadas, convivemos com os mesmos problemas e os governantes também são os mesmos. Eu sou Liliane Araújo e, por mais de dez anos, venho denunciando esse descaso e os políticos nada fizeram. Agora você tem a oportunidade de romper com o atraso”.

Já o candidato Marcelo Serafim (PSB) puxou seu discurso de 41 segundos após a uma autobiografia que apresentou sua trajetória pessoal e profissional, mostrando momentos marcantes que obteve ao longo da vida como formação acadêmica e casamento, mostrando ser um candidato que irá prover a mudança do cenário político atual.

“Hoje, estou preparado para o meu Estado e quero pedir o seu voto para que possamos fazer a mudança que o Amazonas precisa. Vote para mudar”.

Amazonino Mendes (PDT) abriu o primeiro programa eleitoral do horário gratuito deste pleito

Discurso

O tempo de 23 segundos não foi pouco para candidato Luiz Castro (Rede), que mostrou criatividade ao apresentar, por meio de uma corrente, problemas como corrupção, insegurança, saúde falida e desemprego. Ele afirmou que são 34 anos de uma mesma corrente política dominando o Estado e causando sofrimento para o povo. “Está na hora de romper esse atraso, sou Luiz Castro e continuo independente”.

Com o tempo de 54 segundos, a candidata Rebecca Garcia (PP) apresentou um pequeno trecho de sua biografia e mostrou que seu governo será em defesa da causa feminina. “Sou idealizadora de uma ONG de apoio em defesa das mulheres, e foi por querer fazer mais por elas que certamente entrei na política”, disse. Ela lembrou que foi de sua autoria a Lei Federal nº 12.802/2013, que solicita a cirurgia reparadora da mama após a retirada do câncer nas mulheres.

José Ricardo (PT) relembrou o imbróglio jurídico em torno da realização da eleição direta e sua luta pela manutenção do pleito. Criticou ainda a gestão do ex-governador José Melo (Pros) e afirmou que a crise econômica que o Estado atravessa tem suas bases na velha política que quer voltar com seus ex-governadores. “Eu não tenho compromisso com o passado e quero fazer um governo novo para vencer a crise e construir um futuro melhor para você e o Amazonas”.

Finalizando o programa, Wilker Barreto (PHS) teve 54 segundos para se apresentar e foi justamente com a pergunta “Quem é Wilker Barreto?” que ele mostrou que, mesmo no terceiro mandato como vereador de Manaus, muitas pessoas ainda não o conhecem. Aproveitou, ainda, para convidar a população para conhecer suas propostas por meio das redes sociais, já que seu tempo é muito curto no horário gratuito. “Te vejo nas ruas, te vejo nas redes”.

Wal Lima
EM TEMPO

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Mais lidas

Subir