Mundo

Embaixador diz que Reino Unido quer reforçar laços econômicos com Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recebeu, na tarde desta sexta-feira (24), o embaixador britânico, Alex Ellis. Segundo o diplomata, os dois países querem reforçar os laços econômicos, principalmente em investimentos “verdes”.

“Falamos sobre a importância de aumentar a colaboração entre o Reino Unido e o Brasil em várias pautas, por exemplo, investimentos em infraestrutura e financiamento de projetos verdes, contra a mudança climática”, afirmou Ellis.

O embaixador afirmou que a relação deve ser reforçada em um contexto de mudança política e econômica do Reino Unido, após a população decidir, em plebiscito, pela saída do país da União Europeia.

“Temos de reforçar, em novos moldes, uma relação estratégica entre meu país, que é a quinta economia no mundo, e o Brasil, que tem economia do mesmo tamanho”, disse. “Nossa relação com o Brasil é muito antiga. A relação comercial e de investimentos tem que avançar, nunca retroceder. Ainda mais importante, dado ao fato da diferente relação com a União Europeia”, complementou.

Ellis afirmou que Meirelles está alinhado no entendimento de reforçar essa relação. “Só falamos sobre elementos de decisão. O que pode acontecer no futuro, sobre Reino Unido e União Europeia. Mas ele [Meirelles] é a favor desse sentimento de reforçar a parceria estratégica entre Brasil e Reino Unido”, disse.

Apesar de serem 2 das 10 maiores economias mundiais, as relações econômicas entre Brasil e Reino Unido são pequenas. A participação britânica na balança comercial brasileira é de apenas 1,5%, segundo o Banco Central.

No ano, o Reino Unido é a oitava maior fonte de investimentos diretos no Brasil, com ingressos de US$ 733 milhões, até maio. O valor representa 4,4% do total de ingressos de investimentos diretos no país.

Com a saída do Reino Unido da comunidade europeia, cria-se uma dúvida sobre o futuro de imigrantes europeus no país. Mas Ellis afirma que o país está de portas abertas para imigrantes de outros países.

“Imigrantes, estudantes, pesquisadores, trabalhadores, são muito bem vindos. Cameron deu uma declaração no contexto europeu, mas nada muda [em relação a outros países]. Nosso país tem uma forte tradição de abertura. Como quando Gilberto Gil e Caetano Veloso foram recebidos nos anos 1970”, afirmou Ellis.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir