Mundo

Embaixador diz que Reino Unido quer reforçar laços econômicos com Brasil

O ministro da Fazenda, Henrique Meirelles, recebeu, na tarde desta sexta-feira (24), o embaixador britânico, Alex Ellis. Segundo o diplomata, os dois países querem reforçar os laços econômicos, principalmente em investimentos “verdes”.

“Falamos sobre a importância de aumentar a colaboração entre o Reino Unido e o Brasil em várias pautas, por exemplo, investimentos em infraestrutura e financiamento de projetos verdes, contra a mudança climática”, afirmou Ellis.

O embaixador afirmou que a relação deve ser reforçada em um contexto de mudança política e econômica do Reino Unido, após a população decidir, em plebiscito, pela saída do país da União Europeia.

“Temos de reforçar, em novos moldes, uma relação estratégica entre meu país, que é a quinta economia no mundo, e o Brasil, que tem economia do mesmo tamanho”, disse. “Nossa relação com o Brasil é muito antiga. A relação comercial e de investimentos tem que avançar, nunca retroceder. Ainda mais importante, dado ao fato da diferente relação com a União Europeia”, complementou.

Ellis afirmou que Meirelles está alinhado no entendimento de reforçar essa relação. “Só falamos sobre elementos de decisão. O que pode acontecer no futuro, sobre Reino Unido e União Europeia. Mas ele [Meirelles] é a favor desse sentimento de reforçar a parceria estratégica entre Brasil e Reino Unido”, disse.

Apesar de serem 2 das 10 maiores economias mundiais, as relações econômicas entre Brasil e Reino Unido são pequenas. A participação britânica na balança comercial brasileira é de apenas 1,5%, segundo o Banco Central.

No ano, o Reino Unido é a oitava maior fonte de investimentos diretos no Brasil, com ingressos de US$ 733 milhões, até maio. O valor representa 4,4% do total de ingressos de investimentos diretos no país.

Com a saída do Reino Unido da comunidade europeia, cria-se uma dúvida sobre o futuro de imigrantes europeus no país. Mas Ellis afirma que o país está de portas abertas para imigrantes de outros países.

“Imigrantes, estudantes, pesquisadores, trabalhadores, são muito bem vindos. Cameron deu uma declaração no contexto europeu, mas nada muda [em relação a outros países]. Nosso país tem uma forte tradição de abertura. Como quando Gilberto Gil e Caetano Veloso foram recebidos nos anos 1970”, afirmou Ellis.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Quis autem vel eum iure reprehenderit qui in ea voluptate velit esse quam nihil molestiae consequatur, vel illum qui dolorem?

Temporibus autem quibusdam et aut officiis debitis aut rerum necessitatibus saepe eveniet.

Copyright © 2016 EM TEMPO Online. Todos Os Direitos Reservados.

Subir