Mundo

Em texto de comemoração de seus 90 anos, Fidel Castro critica Obama

Em texto de comemoração de seus 90 anos divulgado neste sábado (13), Fidel Castro relembrou sua trajetória política e criticou o presidente americano, Barack Obama.

O aniversário do líder, que acontece neste sábado, está sendo celebrado nas ruas de Havana, já que a data coincidiu com o início do carnaval na cidade.

Não há previsão de aparições públicas de Fidel, mas existe a possibilidade de que ele se encontre com o presidente Venezuelano Nicolas Maduro, que está em Cuba, segundo o jornal inglês “The Guardian”.

O cubano divulgou um texto intitulado “El cumpleaños” (o aniversário) para marcar a data.

Na mensagem, ele fala de sua infância, da Revolução Cubana e termina afirmando que o discurso de Barack Obama no Japão, feito no fim de maio, não teve a “altura” necessária.

“Faltaram-lhe palavras para pedir desculpas pela matança de centenas de milhares de pessoas em Hiroshima, apesar de que sabia os efeitos da bomba nuclear”, escreveu Fidel no texto divulgado pelo mídia estatal cubana.

Fidel está afastado do comando do país desde 2008, quando passou seu cargo para o irmão, Raúl, que fez uma política de aproximação com os Estados Unidos -os dois países cortaram relações desde a Guerra Fria.

Apoio

Fidel já recebeu os parabéns dos presidentes boliviano, Evo Morales, e russo, Vladimir Putin.

“Na Rússia, você tem um grande respeito como homem de Estado destacado que dedicou toda sua vida a serviço do povo de Cuba”, escreveu Putin em um telegrama enviado a Cuba.

Em Havana, a comemoração teve uma exposição sobre a vida de Fidel, fogos de artifício e uma banda que tocou “Parabéns a você”.

Além disso, os eventos do carnaval no país (que vão de 12 a 21 de agosto), também vão homenagear o líder. As ruas foram decoradas com cartazes com o texto “Fidel 90 e mais”.

“Esse é o melhor presente que poderíamos dar a ele, essa festa”, afirmou Leydis Campos, 25, dançarina que participou das comemorações, ao “The Guardian”.

“Fidel é tudo, é o esporte, a cultura…é a rebeldia. O cubano é rebelde por Fidel”, disse a agência de notícias AFP Manuel Bravo, 48, um vidreiro que observava a festa.

O líder cubano também foi alvo de críticas. “Não sei se poderia desejar um bom aniversário”, disse a AFP a dissidente Marta Beatriz, 71, que já foi presa e atualmente está em liberdade condicional.

Para ela, o legado de Fidel é “caos, falta de solução” dos problemas econômicos e o “controle da vida de todas as pessoas do país”.

Por Folhapress

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir