Economia

Em protesto, ex-vigilantes da Global Service reivindicam direitos trabalhistas

A ação ocorreu na rua Salvador, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul - foto: Josemar Antunes

A ação ocorreu na rua Salvador, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul – foto: Josemar Antunes

Um grupo de aproximadamente 17 vigilantes demitidos da empresa Global Service, realizou na manhã desta quarta-feira (21) uma pequena manifestação para reivindicar o recebimento dos direitos trabalhistas. A ação ocorreu na rua Salvador, bairro Adrianópolis, Zona Centro-Sul de Manaus.

Segundo os ex-vigilantes, o problema vem se arrastando há mais de 20 dias, após o cumprimento do aviso prévio. Ao todo, 44 vigilantes que foram desligados do quadro atual de seis mil funcionários estão esperando receber as verbas rescisórias.

Com as demissões, o procedimento normal seria a empresa de vigilância pagar a rescisão, ou eventuais diferenças contratuais, entretanto, a direção da Global Service alega que não dispõe de recursos – que seriam devidos pelo governo – para o pagamento dos ex-funcionários.
Heberton Wadick Salvador, 45, há cinco anos prestou serviço na empresa e espera que seus direitos trabalhistas sejam cumpridos conforme a lei.

“Eu estou precisando receber o que de direito é meu. Minha esposa é cadeirante e sem dinheiro fica difícil manter a cesta básica”, declarou.

Quem também vive esse drama é Cintia da Silva Lima, 28. Ela informou que há dois anos trabalhou na empresa e até agora a direção não dá uma reposta concreta.

“Eu não moro alugada, mas estou precisando do dinheiro que tenho para receber. Não é justo o que a empresa vem fazendo com os ex-funcionários”, disse.

A assessoria do Sindicato dos Vigilantes do Amazonas (Sindvam) informou que já está providenciando junto à Justiça uma ação coletiva para reivindicar os direitos trabalhistas dos trabalhadores desligados.

A direção da Global Service não quis atender a imprensa. Uma guarnição da 16ª Companhia Interativa Comunitária (Cicom) foi acionada pela empresa para dar suporte.

Por Josemar Antunes

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir