Dia a dia

Em protesto, moradores do Cacau Pirêra reivindicam ‘bolsa enchente’ do governo

O grupo percorreu as principais ruas do Cacau Pirêra e fecharam a rodovia Manoel Urbano que dá acesso a ponte Rio Negro - foto: colaborador EM TEMPO Online

O grupo percorreu as principais ruas do Cacau Pirêra e fecharam a rodovia Manoel Urbano que dá acesso a ponte Rio Negro – foto: colaborador EM TEMPO Online

Aproximadamente 300 moradores do distrito de Cacau Pirêra, pertencente ao município de Iranduba (a 27 quilômetros da capital), realizam na manhã desta quinta feira (11) um protesto reivindicando ajuda financeira do governo estadual, que os manifestantes denominaram de ‘bolsa enchente’.

O grupo percorreu as principais ruas do Cacau Pirêra e fecharam a rodovia Manoel Urbano que dá acesso a ponte Rio Negro (que liga Iranduba a Manaus). O ato começa a prejudicar o trânsito no local e policiais militares estão acompanhando a manifestação, que por enquanto é pacífica.

Segundo uma das manifestantes, Maria das Graças, 45, os moradores já estão com suas casas alagadas há um mês e até agora nenhum governante tomou nenhuma providência.

“Nos abandonaram e já estamos há um mês nessa situação.  A minha casa está  tomada pela água,  durante a noite aparece cobra e jacaré na porta da minha residência”, disse a moradora.

Segundo a vice-prefeita do município de Iranduba, Madalena de Jesus, a situação de Cacau Pirêra é critica, pois quase todas as ruas estão alagadas. “O nosso município ficou fora lista dos que serão contemplados com o repasse para ajuda humanitária”, comentou.

A vice-prefeita disse ainda, que quando o governador José Melo soube que os moradores iam fechar estrada da ponte, assessores dele ligaram para a Defesa Civil do município informando que o Estado ia doar quatro containers com madeiras para o distrito.

“Os assessores do governo ligaram para a Defesa Civil do município e informaram que vão mandar quatro containers com madeiras. Agora, vamos esperar essa madeira e espero que não seja mais outra promessa”, contou.

Os moradores ainda relataram que devido à cheia duas escolas do distrito pararam as aulas.

A Defesa Civil chegou a fazer o cadastrado para o ‘bolsa enchente’, mas até o momento não a previsão para receber o beneficio. “Estamos esquecidos, nossos filhos ficam expostos a todo tipo de doença, só queríamos uma ajuda do governo”, disse um morador que não quis se identificar.

Ontem, de acordo com a Defesa Civil do Estado Iranduba decretou situação de emergência, porém o município não consta na lista dos que serão beneficiados por recursos federais.

De acordo com a assessoria de comunicação da Defesa Civil do Estado, o município de Iranduba  já está no cronograma  para recebimento de ajuda humanitária nos próximos dias.

Ainda segundo a Defesa Civil do Estado, ainda  hoje já  foram enviados 32m ³ de madeira para a construção de pontes e marombas no Cacau Pirêra.

Por Mara Magalhães (especial EM TEMPO Online)

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir