Dia a dia

Em protesto, funcionários terceirizados de fábrica reivindicam pagamento e melhores condições de trabalho

Se não tiverem solicitações atendidas, funcionários farão nova manifestação nesta quarta-feira - foto: Leitor Whatsapp

Se não tiverem solicitações atendidas, funcionários farão nova manifestação nesta quarta-feira – foto: Leitor Whatsapp

Mais de 200 trabalhadores que prestam serviços para uma fábrica localizada no Polo Industrial de Manaus (PIM) fizeram uma manifestação na manhã de ontem, em frente à fábrica. O motivo do protesto é o pagamento de diárias abaixo do valor combinado. Além disso, os funcionários também solicitam outros benefícios.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores das Indústrias da Construção Civil no Amazonas (Sintracomec-AM), Cícero Custódio, a empresa teria feito um contrato de apenas oito dias com os operários. “Por lei, esse contato deve ser de 30 ou 60 dias. O erro já começa aí. Além disso, não há equipamentos de segurança, alguns dos trabalhadores precisam se deslocar até à prefeitura e emitir uma nota fiscal eletrônica para receber o pagamento, entre outras coisas que não deveriam acontecer”, afirmou.

O dirigente do sindicato informou ainda que os trabalhadores não têm estrutura nem mesmo para almoçar e fazem as refeições na calçada da empresa. “Se tudo isso continuar, nesta quarta-feira farem uma paralisação com até mil operários”, destacou.

A fábrica informou, por meio de assessoria, que está em período de férias e que o pagamento de funcionários terceirizados é de responsabilidade das empresas contratadas. Além disso, o repasse do pagamento para estas empresas é feito corretamente.
A reportagem tentou contato com algumas das empresas contratadas mas não obteve sucesso.

Da redação

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir