Dia a dia

Em preparação às Olimpíadas, simulado de acessibilidade é realizado no aeroporto em Manaus

Os voluntários foram divididos em equipes de acordo com as deficiências que serão simuladas - foto: divulgação

Os voluntários foram divididos em equipes de acordo com as deficiências que serão simuladas – foto: divulgação

Com foco voltado para o atendimento aos passageiros com deficiência e aferição da infraestrutura e procedimentos, a Empresa Brasileira de Infraestrutura Aeroportuária (Infraero) realizou nesta sexta-feira (10) um simulado para atendimento a passageiros com necessidade de atendimento especial no Aeroporto Internacional Eduardo Gomes.

Cerca de 60 pessoas participaram do simulado, entre empregados da Infraero, representantes das companhias aéreas, empresas terceirizadas e o Governo do Estado, por meio da Secretaria de Estado dos Direitos da Pessoa com Deficiência (Seped) e voluntários.

Na primeira etapa foi realizado o briefing, quando os voluntários receberam explicações sobre a atividade. O exercício teve como objetivo aumentar a eficiência no atendimento ao passageiro com deficiência ou mobilidade reduzida, além de verificar os níveis de acessibilidade no aeroporto, aferir os procedimentos estabelecidos e identificar a necessidade de novos treinamentos.

O voluntário Micael Oleriano Rodrigues, 22, falou sobre a participação no simulado. “Foi uma experiência boa porque eu nunca tinha participado desse tipo de atividade em um aeroporto. Foi muito proveitoso para vermos na prática o que falta e o que não falta implantar em relação à acessibilidade. O embarque e desembarque foram bem tranquilos”, destacou.

Os voluntários foram divididos em equipes de acordo com as deficiências que serão simuladas: mobilidade reduzida, usuários de cadeiras de rodas, pessoas com deficiência visual e auditiva. Em seguida, os grupos saíram em campo para aferir as situações enfrentadas por passageiros que requerem atendimento específico em diversos setores do aeroporto, do check-in às pontes de embarque e o acesso a aeronave.

“O simulado é uma forma de aferir o atendimento às pessoas com deficiência, de modo que poderemos verificar os itens que necessitam de correções, para que tenhamos um evento com excelência no atendimento aos nossos clientes”, concluiu a superintendente do Aeroporto de Manaus, Socorro Pinheiro.

Após a conclusão do simulado, os grupos narraram suas experiências, apontaram os aspectos positivos os pontos a serem melhorados.

Com informações da assessoria

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir