Esportes

Em pior resultado em 28 anos, brasileiras caem nas quartas de final para a China

A seleção feminina de vôlei perdeu de forma surpreendente para a China, nesta terça (16), e está eliminada dos Jogos Olímpicos do Rio.

Atuais bicampeãs, as brasileiras estavam invictas e sem perder um set sequer até o confronto com as chinesas, que haviam vencido apenas dois jogos em cinco na primeira fase do torneio.

As brasileiras caíram por 3 sets a 2 (parciais de 25/15, 23/25, 22/25, 25/22 e 15/13), no Maracanãzinho lotado, nas quartas de final.

O resultado é o pior da equipe feminina do Brasil desde Seul-1988, quando ficou em sexto. No Rio, 28 anos depois, a equipe de José Roberto Guimarães vai terminar a competição em quinto.

Nas últimas seis olimpíadas, a seleção feminina Brasil chegou ao menos às semifinais dos Jogos Olímpicos.

Agora, entre as quatro melhores equipes da Olimpíada no Rio, a chinesa é a única a já ter conquistado um ouro.

A China vai enfrentar as holandesas em uma das semifinais. Na outra, os EUA (que venceram as japonesas) encaram a Sérvia (que ganhou da Rússia).

A Holanda passou pela Coreia do Sul por 3 a 1.

É a primeira vez que a seleção holandesa fica entre as quatro melhores em uma Olimpíada ou um Mundial. No Grand Prix deste ano, no entanto, terminaram na terceira colocação, após perder a semifinal por 3 a 0 para o Brasil. A holandesa Lonneke Sloetjes foi eleita a melhor oposta da competição.

A China foi quarta colocada no Grupo B, com apenas duas vitórias em cinco partidas. Uma surpresa, pois a equipe chegou ao Rio como uma das favoritas à medalha ao lado de Brasil e EUA.
Bicampeã olímpica (1984 e 2004), a equipe comandada por Lang Ping é a atual campeã da Copa do Mundo (2015) e foi prata no Campeonato Mundial (2014). No Rio, porém, a equipe asiática ainda não tinha jogado bem.

JOGO

O primeiro set foi vencido com extrema facilidade pelas brasileiras, impecáveis na defesa e no ataque. No segundo, a China reagiu, equilibrou o jogo e levou a vitória.

Pela primeira nestes Jogos do Rio, a equipe brasileira perdera um set. No terceiro, o técnico José Roberto Guimarães tirou Natália e colocou Jaqueline. A troca de ponteiras melhorou o passe e a recepção do Brasil, mas não deixou o ataque mais efetivo. Resultado: mais um set perdido.

Invicta após seis partidas nesta Olimpíada, assim como os EUA, a seleção brasileira contou com o apoio da torcida, mas o apagão seguiu.

Zé Roberto tentou outras alterações, como a central Juciely no lugar de Thaísa, e entradas pontuais de Gabi e Adenízia. Nada dava certo.

No final, mais uma derrota que ficará marcada na história da seleção feminina. O Brasil se mantinha no topo olímpico desde Barcelona-1992, quando foi quarto colocado. Em seguida, vieram dois bronzes (1996 e 2000), um quarto lugar (2004) e dois ouros (2008 e 2012).

No Rio, a equipe brasileira buscava igualar o tricampeonato histórico de Cuba (1992, 1996 e 2000), até hoje o único país a conseguir três títulos consecutivos, entre homens ou mulheres.

Sem alcançar a meta, não é certa a permanência de Zé Roberto no comando da equipe que dirige desde 2003.

A CBV (Confederação Brasileira de Vôlei) costuma renovar o contrato dos treinadores a cada quatro anos, renegociando ao término do ciclo olímpico.

Jogadoras importantes com a bicampeã e capitã Fabiana e a oposta Sheilla já anunciaram que não continuarão na seleção.

Sete das 12 atletas têm 30 anos ou mais e também podem deixar a equipe após esta eliminação em casa.

Comentar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Subir